Bradesco

Sindicato cobra fim das demissões no Bradesco

Reunião com banco tratou do aumento nas dispensas e futuro dos trabalhadores de setores mais atingidos; licença-paternidade já esta valendo, retroativa a 27 de dezembro

  • Publicado em 30/01/2017 17:49
Redação Spbancarios
30/1/2017


São Paulo – Aumento nas demissões, novos boatos de transferência dos trabalhadores do Câmbio do Bradesco Nova Central para o Centro Administrativo São Paulo (Casp, do incorporado HSBC) e a licença-paternidade de 20 dias foram alguns dos temas de reunião entre dirigentes sindicais e representantes do Bradesco, realizada na segunda-feira 30.
O encontro foi reivindicado pelo Sindicato em virtude do aumento nas demissões de trabalhadores, principalmente em dezembro de 2016 e em janeiro deste ano.

“Quando o Bradesco concretizou a compra do HSBC foi assegurado ao Sindicato que não haveria demissão em massa”, diz a presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira. “E estamos acompanhando tudo de perto, para que esse compromisso seja honrado. Caso contrário, tomaremos todas as medidas possíveis para assegurar os direitos de todos os funcionários.”

Sobre as demissões, as representantes do Bradesco disseram que muitas das saídas foram provocadas por pedido de trabalhadores. Negaram, ainda, haver demissão em massa e que, inclusive, o banco estaria fazendo contratações.

As dirigentes sindicais relataram que faltam 'cartuchos' (vagas) nas agências e departamentos. O banco afirmou que essa questão será resolvida nos próximos meses.

Também foi questionada a demissão de muitos trabalhadores do Telebanco Santa Cecília, o que tem provocado clima de insegurança no setor. Nesse ponto, a instituição alegou que foram demitidos aqueles que fizeram atendimentos ao cliente considerados insatisfatórios.

Câmbio – As sindicalistas relataram que há novos boatos sobre transferência de trabalhadores do Câmbio da Nova Central para o Casp. Os representantes do Bradesco reafirmaram que não haverá transferência. Também relataram que o setor de Backoffice do Câmbio agora se chama Droc, e que essa troca de nomenclatura pode ter levado as pessoas a entender que haveria uma mudança para o Casp. 

Cobrança Ativa – O setor da Cobrança Ativa do antigo HSBC, na Avenida Chucri Zaidan, zona sul (onde também ocorreram cortes), também foi discutido. No local circulam boatos de que o setor será extinto ou transferido para a Cidade de Deus. A representante do Bradesco se comprometeu a averiguar a situação e dar resposta ao Sindicato. 

Licença valendo – As dirigentes sindicais também cobraram o Bradesco sobre a licença-paternidade de 20 dias, conquista da Campanha Nacional Unificada 2016.

Os interlocutores do banco confirmaram que o direito está valendo e que é retroativo aos pais de filhos que nasceram a partir de 27 de dezembro de 2016. O banco fará, nos próximos dias, o acerto aos bancários que tiraram apenas os cinco dias e ainda têm 15 para auxiliar no cuidado do bebê.    

Leia mais
> Bradesco lucra R$ 12 bi e corta 4,7 mil empregos


Voltar para o topo