Carnaval da Democracia

Folia se une à luta por direitos na cidade de São Paulo

Blocos engajados fazem da festa um momento de questionamento à atual conjuntura; confira a programação da semana

  • Danilo Motta, Redação Spbancarios, com informações da CUT-SP
  • Publicado em 31/01/2018 17:46 / Atualizado em 31/01/2018 18:05

No Bloco dos Bancários de 2017 reinou o "Fora Temer"

Foto: Seeb-SP

São Paulo – Em tempos de retrocessos, a resistência deve ser cotidiana. E não tem arrego nem mesmo no Carnaval! Por isso, durante os dias de folia, várias blocos desfilarão em São Paulo associando a festa de rua às mensagens em defesa dos direitos.

Na sexta-feira 2, por exemplo, o bloco Pinto do Visconde sairá ás ruas do Brás com o apoio da CUT. O slogan deste ano será Tire as mãos da nossa aposentadoria. A ideia é, junto à brincadeira tradicional, mandar um recado contra a reforma da Previdência, que pode ser votada já em fevereiro.

“Buscamos a aproximação com a comunidade local para construir em conjunto uma das festas mais populares de nosso país, o carnaval. Mas, esse momento de festividade é também uma oportunidade de ampliar nosso diálogo sobre a luta em defesa da aposentadoria e de nossos direitos”, explicou Douglas Izzo, presidente da CUT-SP.

O bloco se concentra a partir das 17h na Rua Caetano Pinto, 611, perto das estações do metrô Pedro II ou Brás, ambos da linha 3 (Vermelha).

No mesmo dia, a Praça da República recebe o bloco Sem Medo e Sem Vergonha, organizado pela Frente Povo Sem Medo. A concentração também será às 17h.

No sábado 3, a Avenida São João será tomada pelo Bloco dos Sem Teto, organizado pela Frente de Luta por Moradia. O evento no Facebook convida os foliões a “brincar o Carnaval e continuar a luta por moradia”. A concentração será ás 15h, em frente ao número 588 da tradicional avenida paulistana.

No dia seguinte, o Acadêmicos do Baixo Augusta ocupa a Rua da Consolação e promete arrastar uma multidão sob o mote É proibido proibir. A agremiação, que todos os anos promove um debate sobre as festas populares, a democratização da cidade e o uso dos espaços públicos, pretende fazer um contraponto à restrição ao Carnaval de rua na gestão de João Doria à frente da Prefeitura de São Paulo.

Sindicato – Na terça-feira 6, o Bloco dos Bancários faz seu décimo desfile. O lema deste ano é Um abraço contra o ódio. Além das pautas que atingem a classe trabalhadora como um todo, como as reformas trabalhista e da Previdência, o desfile pretende fazer um contraponto à onda de intolerância crescente que se observa no Brasil.

“Mesmo em meio ao caos que foi instalado no Brasil, é importante dar uma pausa para fazermos a nossa festa. O Bloco dos Bancários pretende fazer uma folia democrática, onde todos poderão participar, livres dos preconceitos e das opressões que vemos acontecendo e rechaçamos no dia a dia”, afirmou Marcelo Gonçalves, secretário Cultural do Sindicato. 



Voltar para o topo