Bradesco

Luta contra demissões segue no Bradesco

Em mais um ato contra cortes, bancários protestaram na Cidade de Deus; banco fechou 1.129 postos de trabalho nos últimos três meses de 2016

  • Publicado em 22/02/2017 16:58
Redação Spbancarios
22/2/2017


São Paulo – A luta contra as demissões no Bradesco não para de crescer. Em mais um ato contra os cortes no banco, o Sindicato realizou protesto na quarta-feira 22 na Cidade de Deus, matriz do banco, onde estão alocados cerca de 12 mil funcionários. Nos últimos três meses do ano passado, o Bradesco fechou 1.129 postos de trabalho. Somente em São Paulo, Osasco e região, entre dezembro de 2016 e janeiro deste ano, 533 trabalhadores foram demitidos.

> Fotos: galeria do ato na Cidade de Deus 

“O protesto na Cidade de Deus, realizado no dia de luta dos sindicatos do estado de São Paulo, tem como objetivo denunciar os cortes no Bradesco e também fazer um alerta aos trabalhadores. Muitos já se conscientizaram sobre a gravidade da situação e estão mobilizados ao lado do Sindicato. Mas é necessário aumentar a pressão sobre o banco. Para isso, todos os funcionários têm de estar unidos na luta. As demissões não afetam só os bancários que deixam a instituição, pais e mães de família, mas também aqueles que permanecem no banco, que ficam cada vez mais sobrecarregados”, explica a dirigente sindical e funcionária do Bradesco Sandra Regina.

Em virtude da proximidade do Carnaval, o protesto na Cidade de Deus teve o mote 'Bradesco promove Carnaval de demissões: demite milhares, lucra bilhões'.

“Não existe justificativa para que um banco como o Bradesco, que lucrou mais R$ 17 bilhões em 2016, promova esse número de demissões. Ainda mais neste momento tão delicado para a economia do país. O protesto na matriz é parte de uma jornada de luta em defesa do emprego dos bancários do Bradesco. O Sindicato vai promover outros atos para denunciar, ao lado dos bancários, este desrespeito com trabalhadores, clientes e a população em geral”, conclui Sandra.

Além da jornada de luta em defesa dos empregos, o Sindicato também está tomando todas as medidas jurídicas cabíveis contra as demissões no Bradesco.

Leia mais
> Bradesco: bancários se levantam contra demissões
> Sindicato cobra fim das demissões no Bradesco


Voltar para o topo