Assembleia

Bancários elegem Comissão Eleitoral

Com a Quadra lotada, categoria escolheu a Chapa 1 para comandar o processo que definirá a próxima diretoria do Sindicato

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 16/03/2017 22:49 / Atualizado em 24/04/2017 18:06

Assembleia escolheu a Chapa 1 para comandar o processo que definirá a próxima diretoria do Sindicato

Foto: Seeb-SP

São Paulo – Luiz Cláudio Marcolino (Itaú), Gilmar Carneiro (Itaú),Luciano Ramos (Bradesco), Elaine Cutis (Bradesco) e Francisvaldo Mendes (Bradesco), bancários sindicalizados integrantes da Chapa 1, foram escolhidos para compor a Comissão Eleitoral que organizará o pleito que vai definir a diretoria do Sindicato para a gestão 2017/2020.

A Chapa 1, apoiada pela diretoria do Sindicato e composta por bancários filiados à CUT e à Intersindical, obteve quase 100% dos votos dos cerca de 1.150 trabalhadores de São Paulo, Osasco e região que participaram da assembleia realizada na noite de quinta-feira 16, na Quadra dos Bancários. A Chapa 2, que obteve 14 votos, foi integrada por bancários da oposição.

Além de organizar todo o processo de votação, a Comissão Eleitoral tem a responsabilidade também de zelar para que o pleito ocorra de forma transparente e democrática. A ela será agregado um representante de cada chapa que vier a concorrer à disputa. A comissão deve divulgar o calendário para a inscrição de chapas e as datas para a votação.

“A votação para a diretoria do Sindicato dos Bancários de São Paulo, cuja base abrange a capital, Osasco e mais 15 cidades, chega a ser maior que a de muitos municípios. São milhares de locais de trabalho envolvidos. Portanto, a responsabilidade da comissão eleitoral é grande e nosso trabalho é para manter a lisura do processo, garantindo que ele seja transparente e democrático”, afirma Luiz Cláudio Marcolino, integrante da Comissão Eleitoral.

A presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira, destacou a importância da entidade, uma das maiores e mais atuantes do país e de toda a América. Ela destacou ainda que diante da atual conjuntura do Brasil, com projetos no Congresso que visam acabar com a aposentadoria, com os direitos trabalhistas e com os bancos públicos, é fundamental manter a entidade forte e representativa. “Por isso é importante que todos os bancários e bancárias acompanhem o processo eleitoral e compareçam às urnas nas datas que serão definidas pela comissão. Começar esse processo com uma assembleia grande como essa reforça seu caráter democrático e participativo”, disse, parabenizando os bancários presentes que atenderam à convocação do Sindicato e foram à assembleia.

O presidente da CUT, o bancário Vagner Freitas, também ressaltou a grande participação na assembleia e a importância do Sindicato e da categoria bancária, que atuam na resistência aos projetos de retirada de direitos trabalhistas em curso no país. “Essa assembleia de hoje, que é um exemplo de democracia e participação da base, aberta para que a oposição bancária apresente sua chapa e concorra, mostra que o Sindicato atua aplicando os princípios democráticos cutistas. A categoria bancária é uma das mais fortes e organizadas no país e deu um exemplo de luta ao participar ativamente da forte greve de ontem [quarta-feira 15].”

O presidente da Contraf-CUT, Roberto von der Osten, também elogiou a democracia do processo eleitoral: “Essa assembleia com grande participação dos bancários demonstra a força e a representatividade da atual diretoria do Sindicato”.

Aline Molina, presidenta da Fetec-CUT/SP, frisou a luta da entidade. “A eleição da diretoria de um dos sindicatos mais fortes do país é um momento muito importante para a categoria. Esse Sindicato atua há mais de 90 anos lutando pelos direitos dos bancários e por uma sociedade justa e igualitária.”

A base do Sindicato é composta por São Paulo, Osasco e mais 15 municípios da região.

A assembleia foi acompanhada por representantes da Central Única dos Trabalhadores (Nacional e São Paulo), Contraf-CUT, Fetec-CUT/SP, Apcef/SP, Afubesp, Associação dos Aposentados, Uni Finanças (braço da UNI Sindicato Global), entre outras entidades.



Voltar para o topo