Cidadania

Diretor do Sindicato é eleito para o Conselho Municipal de Saúde

Carlos Damarindo, eleito suplente, foi empossado na 19ª Conferência Municipal de Saúde, na qual foram temas o desmonte do SUS, cortes da atual Prefeitura, desafios inerentes à complexidade da saúde pública, entre outros

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 13/03/2018 18:32 / Atualizado em 14/03/2018 11:59

Foto: Mauricio Morais

São Paulo – O secretário de Saúde e Condições de Trabalho do Sindicato, Carlos Damarindo, foi eleito para o Conselho Municipal de Saúde de São Paulo (CMS-SP) como suplente para representar os usuários do SUS pela CUT (Central Única dos Trabalhadores).

Carlão, como é conhecido no Sindicato e entre os bancários de base do Itáu – banco do qual é funcionário –, foi empossado junto aos outros 32 conselheiros eleitos em cerimônia realizada no domingo 11, durante a 19ª Conferência Municipal de Saúde. Eles exercerão controle social do Fundo Municipal de Saúde.

“Atuarei no CMS-SP no sentido de defender os interesses dos trabalhadores e de todo o conjunto da população de São Paulo, usuários do SUS, que hoje sofre uma série de ataques tanto do governo federal, com Temer, quanto no âmbito municipal, com Doria. A sanha privatista ameaça essa importante conquista da sociedade brasileira, um sistema de saúde universal e gratuito, que precisa ser defendido e cada vez mais aperfeiçoado em favor da população. Não desmontado”, enfatiza Carlão.

Entre as atribuições dos conselheiros, eleitos para o biênio 2018/2019, estão deliberar sobre estratégias e atuar no controle da execução da Política Municipal de Saúde; deliberar, analisar, controlar e apreciar, no nível municipal, o funcionamento do Sistema Único de Saúde; aprovar, controlar, acompanhar e avaliar o Plano Municipal de Saúde. Também é prerrogativa do CMS-SP acompanhar e fiscalizar os procedimentos do Fundo Municipal de Saúde - FUMDES, por meio da comissão de análise do Fundo.

São, ainda, funções do CMS, estimular a participação e o controle popular via sociedade civil organizada nas instâncias colegiadas gestoras das ações de saúde em nível distrital regional e de unidades, e possibilitar a informação das questões de saúde e o amplo conhecimento do Sistema Único de Saúde à população e às instituições públicas e entidades privadas.

Conferência Municipal de Saúde – A 19ª Conferência Municipal de Saúde de São Paulo foi realizada entre os dias 9 e 11 de março. O foco principal dos debates foi o desmonte do SUS.  

“Os principais debates e palestras foram em torno do desmonte do Sistema Único de Saúde, que se reflete na política municipal de São Paulo, onde o atual prefeito promove sucessivos e significativos cortes na área. Entendo que todos os trabalhadores dependem direta ou indiretamente do SUS, desde cirurgias que ocorrem dentro dos planos de saúde, bem como ao ir a um restaurante onde a vigilância sanitária atua na fiscalização. Isso é a complexidade da saúde pública. Todos dependem dela, mesmo que optem por contratar serviços privados. De forma abrupta e arbitrária, é exatamente essa área que a gestão municipal está precarizando. Nosso papel é defender a saúde da população e assegurar que os recursos sejam aplicados em prol da mesma”, conclui Damarindo.



Voltar para o topo