#8M

Luta por igualdade de gênero é permanente

Érica Oliveira destaca que ações para que o trabalho tenha o mesmo valor para homens e mulheres extrapolam mês de março

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 20/03/2018 19:20 / Atualizado em 23/03/2018 13:47

“O Sindicato dos Bancários, com sua mesa de igualdade de oportunidades, pioneira entre as categorias organizadas, luta para que a gente diminua esse abismo e que o trabalho tenha o mesmo valor para homens e mulheres”, afirma Érica de Oliveira, secretária de Formação do Sindicato, ao destacar que equidade de gênero é uma luta permanente, que vai além do mês de março.

Desigualdade

Os números reforçam a desigualdade de gênero sistêmica no trabalho bancário, que se agrava com os dados de janeiro. Se entre desligadas a média salarial era 24% menor em comparação com os homens desligados, as mulheres admitidas em janeiro apresentam média salarial 28% menor que os bancários contratados no período. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.



Voltar para o topo