Seminário

Maria Maeno: é preciso considerar a dupla jornada das mulheres

  • William De Lucca, SPBancários
  • Publicado em 15/03/2019 14:20 / Atualizado em 15/03/2019 14:34

A médica e pesquisadora da Fundacentro, Maria Maeno, afirmou durante participação no Seminário “Previdência Social, reformas e a saúde da mulher”, promovido pela Faculdade 28 de Agosto e pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, que o ritmo de trabalho e a dupla jornada realizada pela maioria das mulheres justifica um tratamento diferenciado em relação a Previdência.

> Mulheres perdem severamente com reforma da Previdência

"A mulher muitas vezes é o arrumo da família, principalmente nas famílias mais pobres. É ela quem cuida dos filhos, dos idosos e quem fica com a maior parte dos afazeres domésticos", disse a médica. "Embora as mulheres vivam mais do que os homens, ela tem anos de incapacidade a mais do que eles. O desgaste físico e psiquico que a mulher sofre é ponto a se pensar do ponto de vista da Previdência Social.

> Reforma da Previdência é pior para mulheres

> Oposição lutará contra reforma da Previdência

A proposta defendida pelo governo Bolsonaro prejudica todos os trabalhadores, em especial as mulheres.  A proposta aumenta e estabelece uma idade mínima de 62 anos no regime geral associada à ampliação no tempo necessário de comprovação de contribuição de 15 para 20 anos.

Momento Bancário

Para falar sobre a luta das mulheres por maior participação na política, a secretária-geral do Sindicato, Neiva Ribeiro, recebeu no Momento Bancário na quarta 14 , a vereadora Juliana Cardoso (PT-SP) e a deputada Estadual Márcia Lia (PT-SP). Assista e compartilhe! 

Ainda não se inscreveu no nosso canal?

Inscreva-se e clique no sininho para receber notificações quando um novo vídeo for publicado.



Voltar para o topo