Aposentadoria

Mulheres perdem severamente com reforma da Previdência

Coordenadora de Pesquisas do Dieese destaca que mesmo alcançando exigências, apesar das condições desiguais no mercado de trabalho, haveria redução severa no valor das aposentadorias

  • Elisângela Cordeiro, Spbancarios
  • Publicado em 13/03/2019 14:20 / Atualizado em 15/04/2019 16:42

A Reforma da Previdência defendida pelo governo Bolsonaro prejudica todos os trabalhadores, em especial as mulheres. A proposta aumenta e estabelece uma idade mínima de 62 anos no regime geral associada à ampliação no tempo necessário de contribuição, de 15 para 20 anos.

> Reforma da Previdência é pior para mulheres

"Mesmo alcançando essas exigências, o que é muito difícil para as mulheres que têm trabalho intermitente, várias vezes interrompido, muitas no trabalho informal, há uma redução severa no valor que essas trabalhadoras terão direito” destaca Patrícia Pelatieri, coordenadora de Pesquisas do Dieese, ao ressaltar que no caso de conseguir comprovar essas exigências, as mulheres receberão 60% de uma média rebaixada, se comparada a regra atual.

Ela participou do Seminário “Previdência Social, reformas e a saúde da mulher”, promovido pela Faculdade 28 de Agosto e pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

Inscreva-se no nosso canal no YouTube e receba as principais produções audiovisuais do Sindicato.

8 de Março: Luta por igualdade, direitos, Previdência pública e democracia
> 106 mil mulheres assassinadas em 33 anos
> O machismo nos bancos
> Ivone Silva: 8 de Março de luta e resistência



Voltar para o topo