Vitória!

Sindicato ganha ação judicial para bancários do Santander

Tribunal Regional do Trabalho condenou o banco a pagar adicional de periculosidade aos empregados de prédio que mantinha tanque de armazenamento de combustível

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 08/03/2019 14:00 / Atualizado em 08/03/2019 16:54

O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região obteve mais uma decisão judicial positiva relacionada ao adicional de periculosidade, agora, contra o banco Santander. 

 Assine o boletim eletrônico com notícias específicas do Santander
Faça a sua sindicalização e fortaleça a luta em defesa dos direitos dos bancários

O Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (São Paulo) manteve decisão da 4ª Vara do Trabalho de São Paulo e condenou o banco ao pagamento de 30% sobre o salário base aos bancários que trabalharam no prédio da Rua Conselheiro Nébias. O local mantinha tanque de armazenamento de combustível para alimentar gerador de energia em caso de queda da rede elétrica. 

> Tire dúvidas sobre ação de periculosidade da Conselheiro Nébias

O período de validade da ação é de 16 de setembro de 2009 a 12 de novembro de2016. Todos que trabalharam nesse período têm direito a receber, com exceção dos empregados que saíram do banco dois anos antes do ingresso da ação (16 de setembro de 2014).

No processo, o perito judicial entendeu que “Com base na visita pericial realizada, nas informações obtidas, nos fatos observados, nas medições realizadas e levando em conta o resultado das avaliações, onde foram analisados os riscos potenciais à saúde e fixados todos os fatores correlacionados, concluo que os postos de trabalho ocupados pelo Santander foram considerados como causadores de periculosidade até 12 de novembro de 2016.”
 
Da decisão, ainda cabe recurso ao Tribunal Superior do Trabalho.

Outros bancos

Também devido ao armazenamento de combustível, o Sindicato move processos similares contra Bradesco, Caixa, BV Financeira, Itaú, Safra, HSBC, Santander e Citibank. Essas ações aguardam decisão da Justiça.



Voltar para o topo