Desmonte

Direção da Caixa anuncia nova reestruturação

Desrespeitando empregados e Acordo Coletivo de Trabalho, banco anunciou o Programa Eficiência, que pretende reduzir despesas operacionais em R$ 2,5 bilhões até 2019; Sindicato cobra negociação e alerta para riscos à Caixa 100% pública, descomissionamentos arbitrários e corte de direitos

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 20/04/2018 18:00 / Atualizado em 20/04/2018 18:01

São Paulo - Em comunicado interno, a direção da Caixa informou seus empregados sobre o  Programa Eficiência, lançado na quinta-feira 19, que pretende reduzir as despesas operacionais em R$ 2,5 bilhões até 2019. O Sindicato cobra negociação sobre essa nova reestruturação e alerta para riscos à Caixa 100% Pública e às funções e direitos dos empregados.

> Faça a sua sindicalização e fortaleça a luta em defesa dos direitos dos bancários
> Assine o boletim eletrônico com notícias específicas da Caixa

“No nosso Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) temos uma cláusula que obriga a Caixa, no caso de uma reestruturação, a dialogar com os empregados, trazer os aspectos da reestruturação para a mesa de negociação. Cobramos da Caixa que respeite o acordo assinado por ela e esclareça como pretende reduzir em R$ 2,5 bilhões as despesas operacionais até 2019, o que não é explicado no comunicado enviado aos empregados”, enfatiza o diretor do Sindicato e coordenador da CEE/Caixa (Comissão Executiva dos Empregados da Caixa), Dionísio Reis.

O diretor do Sindicato lembra que está marcada para o dia 24 a próxima mesa de negociação permanente entre a representação dos empregados e o banco.

“Cobraremos da direção do banco respeito à carreira dos empregados, que essa nova reestruturação não busque reduzir as despesas operacionais às custas das funções dos trabalhadores, com descomissionamentos arbitrários. Nosso recado é claro. Não aceitaremos retirada de direitos. Também nos preocupa os impactos sobre a Caixa 100% pública, sua função social, tão fundamental para o país, que hoje já está sob ataque do governo Temer”, diz Dionísio.

De acordo com o comunicado da Caixa, o programa será implementado em fases e terá duração total de 18 meses. O primeiro foco será “eficiência e redução de despesas”. Em seguida, “processos e pessoas”. O trabalho terá a coordenação da Deore (Diretoria de Organização e Estratégia) e abrangerá todas as 22 diretorias do banco público.

“Na atual conjuntura de ameaças privatistas, seja pelo atual governo ou por pré-candidatos de direita à Presidência, de ataques aos trabalhadores e seus direitos, é fundamental que os empregados da Caixa façam uma forte mobilização pela manutenção dos nossos direitos e empregos. Entre os dias 24 e 26 teremos plenárias dos empregados da Caixa na sede e regionais do Sindicato. Iremos reunir as demandas dos locais de trabalho e discutir estratégias de defesa dos nossos direitos e do Acordo Coletivo de Trabalho. É fundamental a participação de todos os trabalhadores”, conclama Dionísio.



Voltar para o topo