Movimento sindical

Primeira presidenta da história da Contraf-CUT assume cargo oficialmente

Juvandia Moreira foi eleita em congresso da entidades que reuniu delegados representando bancários de todo o Brasil, no sábado 7. Nova gestão começou no domingo 15 e irá até 2022

  • Contraf-CUT
  • Publicado em 16/04/2018 17:38 / Atualizado em 16/04/2018 17:42

Juvandia Moreira foi eleita no 5° Congresso Nacional da Contraf-CUT

Imagem: Sem Cortes Filmes

São Paulo – A primeira presidenta da história da Contraf-CUT, Juvandia Moreira, assumiu o cargo oficialmente no domingo 15. Ao lado dela, a nova diretoria fica no comando da Confederação até 2022. A gestão irá colocar em prática o Plano de Lutas da categoria, aprovado pelos delegados presentes no 5º Congresso da Contraf-CUT, que ocorreu em São Paulo, entre os dias 6 e 8 de abril.

“Assumimos num dos momentos mais difíceis de nossa história devido ao golpe dado contra toda a classe trabalhadora, a democracia brasileira e a soberania nacional. A nossa saída passa por muita unidade e luta. Só assim conseguiremos reverter a retirada de direitos e a rearticulação do projeto neoliberal que tanto afeta os trabalhadores e especificamente a categoria bancária”, afirmou Juvandia Moreira.

Formada em Direito e pós-graduada em Política e Relações Internacionais, Juvandia entrou na direção do Sindicato dos Bancários de São Paulo no dia 8 de março (Dia Internacional da Mulher) de 1997. Lá passou pela Secretaria de Assuntos Jurídicos e de Organização, além da Secretaria-geral. Em 2010, assumiu a Presidência da entidade, sendo a primeira mulher a presidir o Sindicato depois de quase um século de existência (em 16 de abril o Sindicato completou 95 anos). Juvandia ocupa também a Executiva da CUT Nacional.

Conheça a nova direção da Contraf-CUT para a gestão 2018/2022. Nos próximos dias, a lista completa da direção estará no site da Contraf-CUT.

Juvandia sucede na presidência o dirigente Roberto von der Osten, que passa a ocupar a Secretaria de Relações Internacionais da Contraf-CUT. Durante seu mandato na presidência, o Brasil sofreu um golpe contra a democracia. Além de enfrentar este cenário adverso, um dos seus principais feitos à frente do Comando Nacional dos Bancários, Roberto von der Osten conquistou um acordo de dois anos, o que garantiu a manutenção de direitos e aumento real para a categoria.

“Estivemos à frente da Confederação num dos momentos mais tristes da história recente do Brasil: uma presidenta destituída de forma injusta e imoral. Um golpe, que foi a senha para as elites empresariais e para os bancos, aliados à mídia golpista e aos parlamentares, atacarem nossos direitos e nossa organização. Tenho orgulho do trabalho realizado ao lado do Comando e de toda a nossa equipe da Contraf-CUT. Conseguimos resistir, proteger nossa CCT e impedir muitas barbaridades. Agora passamos a coordenação dessa luta a uma mulher extremamente capaz, competente e que admiramos muito. Tenho total confiança de que terá a força, a sensibilidade e a sabedoria para conduzir nosso ramo rumo a grandes vitórias. Juvandia me representa”, disse o atual secretário de Relações Internacionais.
 



Voltar para o topo