Saúde

Saiba o que fazer se for convocado para perícia de revisão do INSS

Em um ano do chamado “pente-fino” de Temer em auxílios-doença e aposentadorias por invalidez, 422 mil benefícios foram cancelados; bancários podem contar com o auxílio do Sindicato em caso de convocação para perícia

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 24/04/2018 18:21 / Atualizado em 30/05/2018 18:38

Foto: Agência Brasil

O governo Temer convocou, no dia 12 de abril, 152.269 segurados que recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez. De acordo com o INSS, nessa etapa do chamado “pente-fino” foram chamados beneficiários não encontrados anteriormente por alguma inconsistência no endereço e quem recebeu a carta, mas não agendou a perícia no prazo determinado. Em um ano de revisão, foram cancelados 422 mil benefícios: 74% dos auxílios-doença e 28% das aposentadorias por invalidez.

 

“Essa revisão promovida pelo governo Temer é uma crueldade sem tamanho. O objetivo não é identificar o que foi pago de forma indevida e corrigir possíveis equívocos. A meta é cancelar o maior número de benefícios possível. Por isso, o bancário convocado para a revisão deve ter cuidado redobrado e procurar o Sindicato em caso de qualquer dúvida”, diz o diretor de Saúde e Condições de Trabalho do Sindicato, Carlos Damarindo.

> Sindicato protesta contra o corte de 422 mil benefícios do INSS

Para auxiliar o bancário convocado para perícia de revisão no INSS, o Sindicato preparou um guia de orientações. Confira abaixo:

1 - Ao ser convocado, o beneficiário deve ligar e agendar a perícia dentro de cinco dias por intermédio do telefone 135 do INSS.

2 - O beneficiário, antes da perícia, deve procurar seu médico e, se possível, atualizar os exames. Assim, poderá comparecer à perícia municiado de documentos que comprovem a permanência da incapacidade.

Seguem abaixo exemplos de documentos a serem levados no dia da perícia:

a) Documentos pessoais;
b) Relatório médico com a situação atual do paciente e os sintomas da doença;
c) Prontuário médico;
d) Exames e laudos de exames;
e) Relatórios de terapia (psicólogos) e fisioterapia;
f) Receitas de remédios e os efeitos colaterais;
g) Documentos que comprovem a permanência da incapacidade ou invalidez e a continuidade do tratamento durante o tempo de afastamento.

3 – Caso tenha o benefício cancelado, CLIQUE AQUI para mais orientações e procure o Sindicato via Central de Atendimento (3188-5200).  

 



Voltar para o topo