Reforma da Previdência

Frente parlamentar em defesa das aposentadorias é lançada na Alesp

Sindicato participou do evento de lançamento nesta quinta-feira 25, que contou com a participação de representantes de diversas categorias

  • Danilo Motta, redação Spbancarios
  • Publicado em 25/04/2019 15:15 / Atualizado em 25/04/2019 16:38

Foto: Seeb-SP

O Sindicato participou do evento de lançamento da Frente Parlamentar em Defesa das Aposentadorias, que aconteceu na Alesp na manhã desta quinta-feira 25. O encontro, de iniciativa da deputada estadual Beth Sahão (PT), reuniu representantes de diversas categorias e centrais sindicais para discutir os malefícios da reforma da Previdência e a importância da mobilização face aos retrocessos.

> Sindicato quer saber sua opinião sobre a reforma da Previdência
> Saiba quem são os deputados que votaram a favor da reforma da Previdência
> Centrais unidas no 1º de Maio, contra a reforma da Previdência

A deputada ressaltou a importância do diálogo para estruturar a resistência à aprovação da medida. “Não estamos fazendo esse lançamento hoje apenas para falar entre nós. Queremos que isso traga consequências e que a gente possa dizer não à reforma da Previdência. Nós não queremos isso para nossos trabalhadores e vamos resistir até o fim! E vamos tentar convencer um número maior de parlamentares”, afirmou.

A presidenta do Sindicato, Ivone Silva, também falou sobre a importância de levar o debate sobre a reforma da Previdência para os espaços institucionais. “A importância é trazer o debate para dentro da casa do povo, a Assembleia Legislativa, forçando todos os parlamentares a fazer a discussão sobre a reforma da Previdência. Sabemos que tem vários partidos aqui que são favoráveis à reforma. Essa é uma forma de discutir com eles sobre o quanto isso é prejudicial aos trabalhadores”, frisou.

Ivone aproveitou para lembrar que a reforma será ainda mais prejudicial para as mulheres, que já encontram dificuldades maiores que os homens no mercado de trabalho.

> Reforma da Previdência é pior para mulheres

“A média das aposentadorias das mulheres já é mais baixa que a dos homens. Enquanto a média dos homens gira em torno de R$ 1.200, R$ 1.300, a da mulher está em R$ 1.100.E a mulher tem mais dificuldades no mercado de trabalho, porque muitas vezes quando ela vai ter filho, precisa ficar algum tempo fora do mercado de trabalho”, explicou.

Participaram do evento representantes da CUT, Intersindical, CTB e outras centrais sindicais, além dos sindicatos dos Jornalistas, o SindSaúde, Aspal (Associação dos Servidores Aposentados e Pensionistas da Alesp) e outras entidades.

“Nós estamos dialogando para dentro das nossas categorias, mas também de forma geral na sociedade. Uma parte dos trabalhadores ainda não sabe o risco que correm com essa reforma da Previdência, então precisamos criar esta grande mobilização”, defendeu Douglas Izzo, presidente da CUT São Paulo.



Voltar para o topo