MB com a Presidenta

“Vamos ocupar Brasília”, afirma Ivone Silva

Presidenta eleita do Sindicato convoca trabalhadores a participarem da jornada de lutas contra o desmonte de bancos públicos e a retirada de direitos

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 17/05/2017 19:00 / Atualizado em 18/05/2017 13:05

São Paulo - “Vamos ocupar Brasília. Todas as categorias. Esta semana tem uma jornada de luta em Brasília de defesa não só dos bancos público, mas também contra a retirada de direitos dos trabalhadores, principalmente com a reforma da Previdência, que é um desmente total”, o convite foi feito pela presidenta eleita do Sindicato, Ivone Silva, no programa Momento Bancário com a Presidenta. Nessa última edição, o programa abordou o futuro dos bancos públicos.

“É necessário abrir concurso no Banco do Brasil. Esta havendo reclamação nas agências por falta de mão de obra. Isso acaba afetando também a imagem do próprio banco”, destacou Ernesto Izumi, empregado do Banco do Brasil e diretor do Sindicato, ao denunciar que essa falta de funcionários pode se tratar de uma estrategia do banco de justificar a necessidade de venda da instituição, em caso de privatização. “Então esses movimentos acabam realmente prejudicando a instituição. E os trabalhadores estão no dia a dia tentando reconstruir o banco. Mas o que está acontecendo na alta direção é o contrário”, completa.

Ivone Silva comentou também sobre a importância dos recursos do FGTS para a Caixa e para os brasileiros. “Foram 7,6 milhões de pessoas aptas a sacar quase R$ 11 bilhões. Isso tem um impacto. Além disso, todos nós sabemos que os bancos privados estão de olho nos depósitos de Fundo de Garantia para que isso vá para outros bancos. Fundo de Garantia financia o Minha Casa Minha Vida, os financiamentos imobiliários e também de saneamento”, destaca ao ressaltar que esses recursos estão sob ameaça.

O diretor do Sindicato e coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), Dionísio Reis, também saiu em defesa dos recursos do fundo. “É muito importante essa defesa da manutenção do FGTS na Caixa e preservar esse fundo como uma poupança brasileira, muito importante para a infraestrutura”, destacou. Dionísio destacou também que a Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Bancos Públicos vem se somar com outras frentes. E tem uma grande frente em defesa das empresas públicas. Isso é defesa contra o desmonte do Estado. E é uma defesa que o Estado tem, ainda estrategicamente, de se financiar, sem depender do capital externo e do capital privado.

A Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Bancos Públicos está em discussão entre o movimento sindical e social com os deputados e senadores e deve ser lançada oficialmente no Congresso Nacional ainda no primeiro semestre do ano. Já o Ocupa Brasília, continua na próxima semana com a marcha das centrais sindicais, marcada para o dia 24.



Voltar para o topo