Santander

Casa 1 elege nova Cipa de 15 a 17 de maio

Conheça os candidatos apoiados pelo Sindicato e comprometidos em defender os interesses e as necessidades dos trabalhadores

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 02/05/2018 17:59 / Atualizado em 07/05/2018 12:58

Os seis candidatos apoiados pelo Sindicato na eleição da Cipa no Casa 1

Arte: Thiago Akioka

Os funcionários do Santander lotados no Casa 1 elegerão, entre os dias 15 e 17 de maio, os novos integrantes da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). O Sindicato apoia seis candidatos que, caso sejam eleitos, farão a defesa dos interesses dos bancários no local de trabalho. Na eleição, os trabalhadores devem escolher apenas um nome.

Os cipeiros têm responsabilidades legais como detectar riscos ambientais e sugerir/promover programas e campanhas de prevenção à saúde. Têm também o dever de reivindicar da empresa medidas para reduzir/eliminar riscos existentes à saúde dos trabalhadores. 

A votação ocorrerá de forma eletrônica no link da Cipa (Intranet > Portal RH > Nossa Oferta Para Você > Seu Equilíbrio > Segurança do Trabalho > Portal da CIPA > Vote!), das 9h do dia 15 às 10h do dia 17.

Ambulância

No Casa 1, o Sindicato e os candidatos à Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) apoiados pela entidade reivindicam há anos o suporte permanente de uma ambulância. Entretanto, o banco que lucrou R$ 2,85 bilhões apenas no 1º trimestre deste ano sempre ignorou e se negou a atender essa demanda.

“O Santander deve praticar o respeito pelos trabalhadores zelando pela saúde e o bem-estar deles, que são seu maior patrimônio. Qual o valor da vida de um funcionário que contribui para a geração desse lucro perto do custo ínfimo de uma ambulância?”, questiona o dirigente sindical e bancário do Santander Roberto Paulino, lembrando que, em abril, no Casa 3, um funcionário sofreu um AVC e o local não contava com ambulância.

Conheça os candidatos:

Aécio Ribeiro da Mota 

Trabalha no banco desde 1988. Atualmente está na Área Empréstimo Consignado, na função de Analista de Processos Operacionais. Entre seus projetos estão melhorias no atendimento e horários das vans que transportam os usuários até a estação Santo Amaro e insistir num projeto antigo de instalar no Casa 1 um espaço de lazer semelhante ao do Casa 3.

Gerson Severino da Silva 

Atualmente na Área Processamento Private, na função de Analista Oper. e Serviços III, está no banco desde 1991. Sugerir ações para neutralizar possíveis fontes geradoras de riscos com acidentes ou doenças ocupacionais e melhorias no estacionamento (iluminação, poda de árvores periodicamente etc.) estão entre as suas propostas.

José Fernando Bonfim de Oliveira

Trabalha no banco desde 1988, atualmente está na Área Op. Rural, BNDES / Finame, na função de Analista de Op. e Serviços I. Entre as suas propostas estão: atuar mais de perto com relação ao mobiliário, no que tange a ergonomia e nas divisórias das estações de trabalho, que tem provocado pequenos acidentes; e enfatizar a importância de melhorar pavimentação do pátio externo, que possui bastante afundamento de blocos, o que aumenta risco de acidentes.

Alexandre Trinca

Atualmente na Área Serviços Infraestrutura Rede, na função de Analista de Facilities II, trabalha no banco desde 1993 e já foi cipeiro no Casa 3 por dois mandatos consecutivos. Propõe, entre outros pontos, promover nas dependências do Casa 1 palestras regulares com profissionais especialistas que possam nos informar sobre a importância da prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho.  

Maurício Vieira 

Trabalha no banco desde 2005 e está atualmente na Área de Contabilidade, na função de Analista de Op. II. Tem como propostas: melhoria do ambiente de trabalho, procurando minimizar os efeitos ”danosos” causados aos funcionários devido a equipamentos e acessórios utilizados e melhoria da iluminação nas áreas externas do Casa 1.

Luiz Antonio da Cunha 

Atualmente na Área Back Office - Trade Finance, Services e CGD - Plataforma de Ativos - PJ, na função de Analista III, trabalha no banco desde 1985. Priorizar a prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho e desenvolver programa de saúde ocupacional estão entre as suas propostas.



Voltar para o topo