Atenção!

Responda à consulta da Campanha 2018 até meia-noite deste domingo

Bancários poderão opinar sobre suas prioridades. Participação de todos é extremamente importante na defesa dos direitos previstos na CCT da categoria, ameaçados pela nova lei trabalhista de Temer

  • Publicado em 16/05/2018 10:35 / Atualizado em 26/05/2018 14:55

Arte: Thiago Akioka

Bancários e bancárias de todo o país começam a se preparar para a Campanha Nacional Unificada 2018. E um dos primeiros passos é a consulta nacional, na qual os trabalhadores deverão apontar suas prioridades. Os dados servirão de base para a construção da pauta de reivindicações da categoria. Clique aqui para responder à consulta.

A consulta estará disponíveis no site até meia-noite deste domingo 26 (ou seja, de sábado para domingo).

Análise preliminar dos dados, apresentada pela Fetec-CUT/SP, durante a Conferência Estadual, neste sábado 26, apontou que a maioria dos bancários não votará em candidatos que aprovaram a reforma trabalhista de Temer. Veja mais e participe também, respondendo à consulta.

“É fundamental a participação de todos, porque esses dados serão importantes nos debates para construção da pauta a ser negociada com a Fenaban [federação dos bancos]”, reforça a presidenta do Sindicato, Ivone Silva, acrescentando que a mobilização dos trabalhadores na Campanha se torna ainda mais importante com a lei trabalhista de Temer (em vigor desde 11 de novembro de 2017), que permitiu a terceirização irrestrita, o trabalho intermitente e dificultou o acesso à Justiça do Trabalho, entre outros pontos nocivos, como o fim da ultratividade (leia mais na arte abaixo). 

“A Campanha 2018 será a primeira após a aprovação da lei 13.467, que foi feita sob medida para defender os interesses patronais, retirar direitos e enfraquecer a organização dos trabalhadores. Por isso, mais do que nunca é preciso que a categoria esteja unida e mobilizada em torno de seus sindicatos, para defender nossa Convenção Coletiva de Trabalho [CCT] e os direitos nela previstos, conquistados com muitas décadas de luta, como PLR, VA e VR, jornada de seis horas, auxílio-creche/babá, combate ao assédio moral e muitos outros”, diz Ivone. 

“Se não quisermos perder esses direitos, temos de nos engajar na luta. Nossa CCT está em risco e precisamos estar mobilizados e participar de assembleias, protestos e todas as etapas da Campanha, como a consulta”, reitera.  

Conferências

Outras fases importantes da Campanha 2018 serão a 20ª Conferência Estadual dos Bancários de São Paulo, em 26 de maio, e a 20ª Conferência Nacional, que aprova a pauta de reivindicações da Campanha 2018 e ocorrerá nos dias 8, 9 e 10 de junho. Em assembleia lotada no dia 22, na Quadra, os bancários elegeram delegados para a Conferência Estadual em chapa única, formada pela CUT, Intersindical, CTB e Conlutas, numa demonstração de união e disposição para a luta nesta conjuntura de retirada de direitos.

 

 



Voltar para o topo