Caixa Federal

Em defesa da Caixa e dos empregados, Dia Nacional de Luta

Sindicato esteve nas ruas do centro antigo de São Paulo e no prédio da Sé para dialogar com empregados e população sobre a importância da Caixa para o desenvolvimento do país

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 09/05/2019 18:52 / Atualizado em 10/05/2019 17:00

Os trabalhadores da Caixa promoveram, nesta quinta-feira 9, um Dia Nacional de Luta em defesa do banco público e dos direitos dos empregados. Em São Paulo, as atividades ocorreram no Centro antigo, em frente à Bovespa, e no prédio da Sé, onde estão localizadas uma agência e departamentos do banco público.

Faça a sua sindicalização e fortaleça a luta em defesa dos direitos dos bancários

Em frente à Bovespa, no centro antigo, dirigentes do Sindicato dialogaram com a população sobre a importância da Caixa na operação de políticas públicas sociais importantes para o desenvolvimento do país como, por exemplo, o Minha Casa Minha Vida e o Bolsa Família, e os dos repasses das loterias para cultura, educação, esporte e segurança.

“Estamos mobilizados todos os dias em frente à Bovespa para dialogar com a população sobre a defesa da Caixa como uma instituição fundamental para o desenvolvimento do país. Denunciamos a tentativa de fatiar o banco com a venda de ativos importantes e lucrativos como Gestão de Ativos, Cartões, Seguros e Loterias. O leilão da Lotex foi adiado pela sexta vez e agora está previsto para 28 de maio. Manteremos nossa mobilização diária em frente à Bovespa até pelo menos essa data, quando realizaremos novo Dia Nacional de Luta”, diz a dirigente do Sindicato e empregada da Caixa, Viviam Sá.

Apenas em 2016, as loterias operadas exclusivamente pela Caixa arrecadaram R$ 12,9 bilhões, dos quais R$ 4,8 bi foram transferidos para programas sociais. Desse total, 45,4% foram direcionados para a seguridade social, 19% para o Fies, 19,6 % para o esporte nacional, 8,1% para o Fundo Penitenciário Nacional 7,5% para o Fundo Nacional de Cultura 7,5% e 0,4% para o Fundo Nacional de Saúde.  

No centro antigo também foram coletadas assinaturas para o abaixo-assinado contra a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo Bolsonaro, que não acaba com privilégios e pode representar o fim do sonho e do direito à aposentadoria para milhões de trabalhadores e trabalhadoras rurais e urbanos. 

Já no prédio Sé da Caixa, os dirigentes realizaram um mutirão para dialogar com os empregados alocados na concentração.

“A defesa da Caixa e da sua função social e a defesa dos direitos dos empregados são pautas indissociáveis. Diante de um governo extremamente privatista, temos que estar todos unidos e mobilizados para defender nossos empregos, direitos e a Caixa 100% Pública. Só a luta nos garante”, conclui Vivian.



Voltar para o topo