Dia Nacional de Luta

Problemas no VA e VR geram protestos de bancários do Santander

Em Dia Nacional de Luta, bancários relatam dificuldades para a utilização dos cartões da bandeira Ben Visa Vale, marca do próprio banco, e que precisam utilizar recursos próprios para se alimentar

  • Contraf-CUT, com Redação Spbancarios
  • Publicado em 15/05/2019 13:07 / Atualizado em 15/05/2019 14:28

Em São Paulo, o protesto dos bancários ocorreu na Sede Torre Santander

Foto: Contraf-CUT

Bancários do Santander realizaram o Dia Nacional de Luta para protestar contra as dificuldades para utilização do Ben Visa Vale Alimentação e Refeição, marca do próprio banco. Antes de a alteração ter sido concretizada, o movimento sindical alertou sobre os possíveis problemas, que se confirmaram. A manifestação foi na terça-feira 14. A reportagem é da Contraf-CUT.

“O banco, que já havia ignorado o alerta do movimento, respondeu ao ofício que enviamos solicitando providências, com informações que já nos tinham sido passadas anteriormente. Agradecemos a prontidão na resposta, mas não queremos informações repetidas. Queremos a solução para os problemas relatados ao banco”, disse secretário de Assuntos Socioeconômicos e representante da Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) na mesa de negociações com o banco, Mario Raia.

Resposta do banco

Em resposta ao ofício enviado ao banco pela Contraf-CUT e demais entidades de representação dos trabalhadores, o banco repetiu a orientação para que os funcionários indiquem “os locais que utilizam rotineiramente para suas compras com o vale refeição e alimentação, sendo que os últimos seis meses foram dedicados para essa ação de credenciamento de locais”.

Repetiu também que, atualmente, a Ben possui mais de 120 mil locais credenciados no país e que mais de seis mil pessoas estão envolvidas na ação de novos credenciamentos. O banco informou que a meta é fechar o ano de 2019 com cerca de 300 mil locais credenciados.

Funcionários do Santander de vários locais do país entraram em contato com os sindicatos e informaram que muitos dos locais que aparecem como cadastrados na rede do Ben Visa Vale não aceitam o cartão e que estabelecimentos indicados para o credenciamento 30 dias antes do dia marcado para o início da utilização  ainda não estão cadastrados.

Informação nova

Segundo os representantes dos trabalhadores, a única informação nova na resposta do Santander é que “os dados obtidos pelo banco e pela Ben dão conta que os funcionários utilizaram seus cartões a partir de 30/04 com mais de 30 mil transações desde os primeiros dias de implementação”.

“Esta informação é a prova de que os funcionários não estão conseguindo utilizar adequadamente os cartões. O banco possui 48 mil funcionários no Brasil. Se cada funcionário tivesse utilizado uma única vez os vales, já seriam 48 mil transações. E olha que já se passaram 15 dias do início programado para a utilização do Ben Visa Vale”, observou a coordenadora da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander, Maria Rosani.

Para amenizar o problema, o banco informou que os cartões Ben Visa Vale podem ser utilizados nas máquinas da GetNet e da Cielo, desde que ocorra credenciamento prévio.

“A GetNet é outra operação própria do banco. Mas, para se ter uma ideia da gravidade do problema, o cartão Ben não é aceito sequer nas agências ‘modelo’ workcafé do próprio Santander, que utilizam o sistema GetNet”, ironizou o dirigente da Contraf-CUT.

Manifestações pelo país

As manifestações de protestos por causa das dificuldades de utilização do VA e VR Ben Visa Vale ocorreram em todo o país. Como, por exemplo, em Salvador (BA), onde as atividades foram realizadas na agência da avenida Tancredo Neves.

No ABC Paulista e em Pernambuco, diretores sindicais percorreram agências informando sobre o assunto e possibilitaram a discussão do tema e o fortalecimento da reivindicação para que o problema seja rapidamente solucionado.

Em Teresina (PI), a agência da Rua Álvaro Mendes, no Centro, teve sua abertura retardada em uma hora.



Voltar para o topo