Perseguição e punição

Itaú ameaça demitir bancários que cumprirem hora extra

Funcionários de agência relatam que estão sendo orientados a assinar ata comprometendo-se a se adequar à nova política; Sindicato entrou em contato com RH banco e aguarda resposta contra medida persecutória e punitiva que afasta clientes das unidades físicas 

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 29/06/2017 18:11

Arte: Marcio Baraldi

São Paulo – O Itaú ameaça punir bancários de agências que cumprirem horas extras. Segundo denúncias, nas duas primeiras vezes o funcionário receberá uma advertência por escrito. Na terceira vez será demitido por justa causa.  

“O que o bancário deve fazer se estiver no meio de um atendimento que ultrapassar a sua jornada de trabalho? Largar o cliente, bater o ponto e ir embora?”, questiona o dirigente sindical e bancário do Itaú Júlio César Silva Santos. 

As equipes estão sendo avisadas de que na próxima semana será gerada ata no sistema, a qual os bancários deverão assinar comprometendo-se a cumprir os novos critérios. O Sindicato orienta aos funcionários que não ratifiquem o documento. A entidade também já cobrou posicionamento do RH do banco e aguarda resposta. 

“Com essa prática o Itaú demostra qual sua política: afastar cada vez mais os clientes das agências apostando na cultura digital, o que aumentará ainda mais os lucros do banco, que ficam cada vez mais concentrados nas mãos de poucos”, critica Júlio. “Nós somos contrários a essa medida persecutória, punitiva e que engessa o trabalho dos bancários”, acrescenta o dirigente.



Voltar para o topo