Cassi

Trabalhadores questionam sobre suspensão de venda de planos

Agência Nacional de Saúde impediu, desde 2 de junho, novas entradas no Plano Cassi Família; Sindicato esclarece que atendimento continua normal

  • Redação Spbancarios com informações da Contraf-CUT
  • Publicado em 14/06/2017 17:55 / Atualizado em 14/06/2017 17:59

Arte: Freepik

São Paulo - Os associados da Cassi foram surpreendidos pela notícia, de 2 de junho, sobre a suspensão imposta pela Agência Nacional de Saúde (ANS), impedindo novas entradas no Plano Cassi Família. A reportagem é da Contraf-CUT.

Segundo a ANS, vários planos foram suspensos em função de reclamações de clientes relativas a negativas e demora no atendimento, bem como problemas com a cobertura assistencial. As reclamações recebidas no primeiro trimestre de 2017 foram a base para a suspensão.

A Contraf-CUT, por meio da coordenação da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil, entrou em contato com a Cassi para cobrar as medidas para regularização e manifestar a preocupação de que a medida atinja o Plano Associados, dos funcionários e seus dependentes.

A Cassi informou que teve audiência com a ANS para discutir a suspensão, seus impactos no Plano Associados e também para fazer a defesa da Caixa de Assistência, já que parte das reclamações são baseadas em prestadores que deixaram de atender unilateralmente sem comunicação ao plano de saúde.

Para Wagner Nascimento, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários, a suspensão de novos usuários nos planos da Cassi é muito grave e requer uma resolução rápida. “A última vez que houve um alerta grande assim, foi quando o BB ameaçava não enquadrar a Cassi na Resolução 254 da ANS. Naquela oportunidade o acordo foi conseguido em mesa de negociação com os sindicatos. Houve uma falha no acompanhamento e precisamos aprimorar a gestão nesse sentido, para que tenha solução rápida e que não aconteça novamente.”

“Estamos em contato com o banco e com a Cassi para que a solução ocorra com máximo de brevidade”, reforça Silvia Muto, diretora do Sindicato, ressaltando que a Cassi continua operando normalmente e que a suspensão é apenas para venda de novos planos. “Conforme informado pela área responsável da Cassi, não houve impacto na rede de credenciados.”

As entidades de representação dos funcionários do BB sempre defenderam, junto à Agência Nacional de Saúde, tratamento diferenciado da Cassi e demais auto-gestões, uma vez que o público e os serviços são bem diferenciados em relação aos planos de mercado.

A Contraf-CUT terá audiência com a ANS no próximo dia 20 de junho para obter mais esclarecimentos e trabalhar para mitigar os riscos que possam surgir para os associados da Cassi.

Veja na página da ANS a lista completa dos planos suspensos



Voltar para o topo