Violência contra a Mulher

Em São Paulo, crimes de estupro aumentam 250% em uma década

Interior do estado concentra o maior número de ocorrências, com uma média de mais de 60% dos estupros

  • Luciano Velleda, da Rede Brasil Atual, com edição da Redação Spbancarios
  • Publicado em 07/06/2018 15:31 / Atualizado em 07/06/2018 16:18

Cultura machista é apontada como uma das causas da violência contra a mulher

A quantidade de estupros notificados no estado de São Paulo aumentou 250% num período de 10 anos. Dados da Secretaria de Segurança Pública revelam o salto de 3.223 casos registrados em 2003, para 11.089 ocorrências em 2017. Em uma década, a média mensal de tal crime cresceu de 268 para 924 casos – mais de 30 por dia. O interior do estado concentra o maior número de ocorrências, com uma média de mais de 60% dos estupros. 

"O que estes dados revelam é a própria impunidade. Não há ações que punem," afirma a deputada estadual Beth Sahão (PT-SP). Acompanhada de diversos movimentos feministas, como a Marcha Mundial de Mulheres, CUT Mulher, Rede Feminista Maria Maria, entre outros, a parlamentar entregará ao Ministério Público Estadual, nesta quinta-feira 7, um relatório sobre o aumento do crime de estupro em São Paulo, além de cobrar providências.

Segundo Beth Sahão, o problema já foi levado, em outras ocasiões, ao conhecimento do governo do estado, comandado nos últimos oito anos por Geraldo Alckmin (PSDB), agora pré-candidato à Presidência da República. Entretanto, ela afirma, nada de efetivo foi feito até hoje.  

A deputada diz que denunciar as alarmantes estatísticas de estupro no estado de São Paulo é o que ela e os movimentos feministas podem fazer, assim como exigir a discussão do tema nas escolas e cobrar do poder público que melhore a estrutura dos abrigos e delegacias especializadas em violência contra a mulher. 

Leia reportagem completa na Rede Brasil Atual.

 



Voltar para o topo