Vai ter luta!

Conferência estadual será neste sábado

Representantes dos bancários do estado de São Paulo reúnem-se para debater defesa dos direitos, dos bancos públicos e dos empregos

  • Publicado em 14/07/2017 18:34

Arte: Fabiana Lumi/Seeb-SP

São Paulo – A atual conjuntura exige mobilização e participação dos trabalhadores. É com esse foco que representantes dos bancários do estado de São Paulo reúnem na 19ª Conferência da Fetec-CUT/SP, a federação da categoria.

Será no sábado, a partir das 9h30, na capital paulista. A conferência homenageará Sebastião Geraldo Cardozo, ex-presidente da Fetec, falecido em março.

Os 332 delegados debaterão o momento político atual diante da reforma trabalhista que retira direitos, a defesa dos bancos públicos e dos empregos no cenário de crescimento das novas tecnologias. Além disso, será eleita a delegação para a Conferência Nacional dos Bancários, que será realizada entre 28 e 30 de julho, também em São Paulo.

Acompanhe pelo facebook/spbancarios e pela TVB no www.spbancarios.com.br.

Vai ter luta – A presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Ivone Silva, ressalta a luta da Campanha Nacional Unificada 2016 que conquistou o acordo de dois anos, com manutenção dos direitos previstos na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) até 2018. Além disso, os trabalhadores, tanto de bancos públicos como privados, já têm garantida a reposição total da inflação, mais aumento real de 1% para os salários e demais verbas a partir da data base da categoria, que é 1º de setembro. “Nesses tempos, em que temos à frente da Presidência da República, um governo interessado em defender interesses de banqueiros e empresários, em detrimento dos trabalhadores, o acordo de dois anos tornou uma conquista ainda mais importante”, afirma a dirigente. “Os bancários serão uma das poucas categorias que terão aumento real para os salários, nessa conjuntura. Agora, temos de nos manter unidos e organizados contra a retira de direitos autorizada pela reforma trabalhista de Temer, em defesa dos bancos públicos e dos empregos. Mais que nunca, só a luta te garante.”



Voltar para o topo