Representação

Caixa faz eleições complementares para delegados sindicais

Superlotação de agências com liberação do FGTS atrapalhou as primeiras votações, encerradas em 7 de julho; inscrição de novos candidatos começa segunda 14 e eleições serão entre 28 de agosto e 1º de setembro

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 09/08/2017 15:43 / Atualizado em 16/08/2017 18:34

Arte: Marcio Baraldi

São Paulo – A superlotação das agências da Caixa com o pagamento das contas inativas do FGTS, aliada à falta de empregados, atrapalhou as eleições de delegados sindicais, realizadas entre 26 de junho e 7 de julho, e algumas unidades acabaram ficando sem representantes. Por isso, o Sindicato abriu um processo eleitoral complementar, com inscrição de candidatos a partir da segunda-feira 14 até sexta-feira 18, e novo período de votação, entre 28 de agosto e 1º de setembro.

“As eleições são organizadas pelos próprios empregados em cada local de trabalho, e a sobrecarga ocasionada pela alta demanda impediu que muitas unidades realizassem a votação. Por isso estamos abrindo um novo processo”, explica o diretor do Sindicato e empregado da Caixa Sérgio Anaz. Ele destaca que estão mantidos os mandatos dos delegados já eleitos, que tomaram posse em 13 de julho.

Para se candidatar é preciso ser sindicalizado (basta preencher a ficha de inscrição). Mas todos os empregados, inclusive os não sindicalizados, podem votar.

Locais de trabalho com até 100 empregados, podem eleger um delegado sindical; entre 101 a 200, podem escolher até dois; de 201 a 300, até três; de 301 a 400, quatro delegados; e locais com a partir de 401 trabalhadores, elegem até cinco representantes. O mandato vai até 12 de julho de 2018 e nesse período os delegados sindicais têm estabilidade no emprego.

Resistência – Sérgio Anaz chama atenção para a importância da participação no processo. “A representação sindical por local de trabalho é uma conquista dos bancos públicos e é fundamental para organizarmos a luta. O delegado sindical faz a ponte entre os bancários e a entidade, informando sobre problemas que ocorrem em agências e departamentos e levando informações do movimento sindical às unidades do banco”, explica.

Esse trabalho, segundo ele, assume ainda mais importância na atual conjuntura política do país. “A reforma trabalhista e a lei da terceirização irrestrita ameaçam as conquistas dos empregados da Caixa. Com a edição do RH 037, o banco já prevê, inclusive, a contratação de temporários para as funções de técnicos bancários. Portanto, se os trabalhadores não se mobilizarem, vão assistir à perda de seus empregos e de seus direitos. Participar da eleição para delegado sindical é uma boa forma de se unir à luta e de resistir a essas ameaças.”

Reunião dia 23 – Haverá reunião de delegados sindicais no dia 23 de agosto, no auditório azul do Sindicato (Rua São Bento, 413, Centro), das 9h às 17h. Além de questões específicas da Caixa, será discutida a atual conjuntura no país.



Voltar para o topo