Pesquisa

Conquistado termômetro contra assédio na SR Santana da Caixa

Sindicato apurou denúncias de abusos em unidades da região, onde será realizada pesquisa de clima nas unidades; desrespeito deve ser denunciado ao Sindicato, que tomará novas providências se os casos persistirem

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 05/09/2017 16:40 / Atualizado em 05/09/2017 19:43

Os dirigentes Leonardo Quadros (camiseta rosa), Dionísio Reis (camisa clara) e Danilo Perez (camisa preta)

Foto: Seeb-SP

São Paulo – Representantes dos empregados da Caixa levaram à Superintendência Regional Santana denúncias de assédio moral em agências subordinadas àquela região. Os integrantes do banco presentes à reunião, ocorrida na segunda-feira 4, se comprometeram a dar um fim aos abusos e desrespeitos até o dia 13 de setembro. Também garantiram que uma pesquisa de clima será aplicada para avaliar a situação de cada unidade.

“É importante que os bancários reproduzam fielmente na pesquisa a realidade do ambiente de trabalho nas suas agências e que continuem denunciando ao Sindicato qualquer caso de assédio moral”, orienta o coordenador da Comissão dos Empregados (CEE/Caixa), Dionísio Reis Siqueira. “Se o problema persistir após o dia 13 de setembro, tomaremos outras providências”, alerta o dirigente.

O Sindicato apurou como procedentes casos de assédio moral em unidades da região. “Isso acaba com o funcionário que é subordinado a esse tipo de gestor, é gritante a situação. A gente fica doente. Fisicamente e psicologicamente. Desmotivado”, denuncia uma bancária.

“O caráter emergencial das denúncias nos obrigaram a quebrar o protocolo, pois nem a saúde e nem as carreiras dos trabalhadores, que estão sob ameaça, suportariam os 45 dias de prazo para apuração”, ressalta Dionísio. 

Os bancários podem fazer denúncias diretamente aos dirigentes sindicais ou através dos canais oferecidos pela entidade: o Assuma o Controle, pela Central de Atendimento (3188-5200) ou pelo WhatsApp da entidade (11 97593-7749). Os representantes dos empregados farão a apuração da denúncia junto ao banco e a vítima será mantida no mais absoluto sigilo.

Defesa da Caixa – O desmonte da Caixa já começa a atingir a região subordinada à SR Santana. A agência Cocaia, localizada no Jardim Paraíso, em Guarulhos, será fechada. A unidade tem oito empregados, sendo sete comissionados.

Os representantes dos empregados levaram a questão à reunião e tiveram o compromisso de que a função efetiva de todos os bancários será mantida, inclusive os gerentes PJ e PF que entraram em carteiras formadas no processo de verticalização.

A unidade tem 900 clientes PF e 300 PJ. “A população da região da agência Cocaia necessita daquela agência e já está reclamando a falta que a unidade fará”, afirma Dionísio. 

> Cartilha: veja porque os bancos públicos são importantes para o país

O movimento sindical, por meio da Apcef/SP, Fetec–CUT/SP e dos sindicatos de São Paulo e de Guarulhos – este último responsável pela área onde se localiza a unidade – deflagraram protesto na sexta feira 1º, e intensificarão a discussão junto à população da região sobre o processo de desmonte da Caixa promovido pelo governo Temer.  

Foi apurado que a Caixa pretende fechar 122 agências em todo o Brasil. O Sindicato vem realizando protestos em diversos pontos da sua base, desde o dia 23 de agosto, a fim de denunciar à população e bancários o ataque aos bancos públicos promovidos pelo governo Temer. 

Leia mais
> Caixa: Sindicato luta contra o fechamento de agências
> Sindicato promove ato em defesa dos bancos públicos
> Atos reforçam que a vida de todos vai piorar sem bancos públicos



Voltar para o topo