CAMPANHA 2018

Conquistas da campanha salarial dos bancários injetarão R$ 10 bi na economia

Levantamento do Dieese comprova que, em vez de precarizar as condições de trabalho, promover emprego com qualidade e renda digna é que estimula a economia

  • Contraf-CUT, com edição da Redação Spbancarios
  • Publicado em 13/09/2018 16:54 / Atualizado em 13/09/2018 19:08

Bancários de São Paulo, em assembleia no dia 29 de agosto, aprovaram acordo para renovação da CCT. Poder de compra dos trabalhadores é principal impulso à economia

Foto: Seeb-SP

O acordo salarial conquistado pelos bancários no final de agosto, que garantiu à categoria um reajuste salarial de 5% – reposição integral da inflação e aumento real de 1,31% - que também que se aplica na PLR e nos vales alimentação e refeição e outras verbas como auxílio-creche/babá, terá um impacto positivo de aproximadamente R$ 10 bilhões na economia brasileira até 1º de setembro de 2019, segundo levantamento feito pelo Dieese.

A reportagem é da Contraf-CUT.

Segundo a presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira, os ganhos são fundamentais para a retomada do crescimento, por garantir o poder de compra dos trabalhadores, o que, por sua vez, movimenta a economia.

"Quanto mais direito o trabalhador tem, quanto melhor o salário, mais a economia ganha", afirma Juvandia à repórter Michelle Gomes, do Seu Jornal, da TVT.

"Ao contrário do que alguns candidatos estão dizendo que para ter emprego não pode ter direitos e, isso é um absurdo, na verdade, é quando você tem emprego de qualidade com salário direito é que a economia ganha e gera mais empregos ainda", explica a presidenta.

Bancários mantêm direitos e aumento real em conjuntura desfavorável
CCT dos bancários assegurada por dois anos

Desde 2004, os bancários têm conquistado ganho real e, com o novo acordo, o aumento acumulado até 2019 será de cerca de 23% nos salários e 44,7% no piso da categoria.

Assista a reportagem do Seu Jornal, da TVT:

 

 



Voltar para o topo