WEBTV

Metas e assédio moral expulsam mulheres dos bancos

  • Publicado em 11/10/2017 17:20 / Atualizado em 11/10/2017 19:59

São Paulo – “A partir dos 40 anos, principalmente nos bancos privados, as mulheres diminuem de maneira drástica a sua participação. Entre as hipóteses é de que pode haver maior incidência de assédio moral justamente por estarem nas áreas comerciais. A meta também pesa muito e é diferenciada, porque os gestores são em geral homens. Outra pressão com a mulher bancária é em relação à venda de produtos. A exploração do que se chama de “características” femininas como paciência, o certo jeito para tratar com os clientes e, evidentemente, a exploração da própria imagem da mulher. Então, como esse emprego é muito estafante, ele acaba expulsando a mulher ou até mesmo colocando teto com relação às promoções”. (Barbara Vallejos, economista do Dieese)

Assista aqui ao programa na íntegra.

 

 

"A campanha surgiu a partir da resistência da própria Fenaban em estar avançando no plano de ação para corrigir as distorções existentes na categoria bancária e também olhando a conjuntura. A gente está vivendo um momento de tanto retrocesso, com intolerância à homofobia, com as mulheres que vão sofrer o maior impacto com todo esse desmonte das relações de trabalho, essa coisa do preconceito racial também está crescendo. Então, a gente sentiu que não só precisava fazer uma conscientização da categoria bancária, mas com toda a sociedade” (Elaine Cutis, secretaria da Mulher da Contraf-CUT)

 

 

“E se a mulher bancária for negra, ela ficará mais prejudicada ainda, porque ela vai ficar num lugar que a gente chama de invisibilidade. Inclusive a Contraf-CUT vai fazer um fórum em novembro para falar da visibilidade negra. A mulher negra está lá ganhando menos que todo mundo e nos lugares onde o trabalho é mais penoso e menos visto”. (Neiva Ribeiro, secretária-geral do Sindicato)

MB com a Presidenta - Eles participaram do MB com a Presidenta desta terça,10, que tratou do tema Igualdade de Oportunidades – por que as mulheres ainda ganham menos? O programa de webtv do Sindicato vai ao ar todas as terças, às 18h, com transmissão ao vivo pelo canal do YouTube da TV dos Bancários (TVB), site do Sindicato e Facebook. Excepcionalmente, essa edição foi apresentada por Neiva Ribeiro, secretária-geral do Sindicato. É um espaço de entrevistas, que aborda assuntos de interesse dos bancários, dos direitos dos trabalhadores e de cidadania.



Voltar para o topo