MB com a Presidenta

Para ativista, existe interesse econômico com a cura gay

  • Publicado em 04/10/2017 14:00 / Atualizado em 04/10/2017 18:33

São Paulo - "Na verdade essa questão é bem menos religiosa e mais financeira. Existe um mercado por traz da cura gay. Há centros religiosos, existem casas que fazem esse tipo de tratamento e que dá muito dinheiro". (William De Lucca, jornalista e ativista LGBT`s)

Esse foi o destaque do ativista no MB com a Presidenta sobre direitos LGBTs na vida e no trabalho. Ele relembrou que há anos essa população enfrenta no Brasil uma luta para provar que a homossexualidade não é doença e, que em 2013, o deputado João Campos (PSDB- GO) apresentou um projeto parecido ao da cura gay, quando recentemente o juiz da 14ª Vara do Distrito Federal, Waldemar Cláudio de Carvalho, autorizou, em caráter liminar (provisório) que psicólogos pudessem fazer a terapia de reorientação sexual.

De Lucca considera a decisão um retrocesso uma vez que essa população já enfrenta violência, descriminação, por ser LGBT e que, com essas orientações dos psicólogos, passariam a assumir uma culpa por serem discriminados pela sociedade.

Participaram desta edição, o dirigente Maikon Azzi, coordenador do coletivo LGBT do Sindicato, Lucas Bulgarelli, coordenador do Grupo de Trabalho em diversidade e direito do Crivelli Advogados, além de William De Lucca, jornalista e ativista LGBT.

MB com a Presidenta – O programa de webtv vai ao ar às terças-feiras, às 18h, com transmissão ao vivo pelo canal do YouTube da TV dos Bancários (TVB), site do Sindicato e Facebook. É um espaço de entrevistas, que aborda assuntos de interesse dos bancários, dos direitos dos trabalhadores e de cidadania.

Assista aqui ao programa na íntegra.



Voltar para o topo