Caixa

Gerentes denunciam SR Santo Amaro por assédio

Empregados relatam exposição de ranking individual por meio do WhatsApp, além do abuso do "grupo zera gap"; banco alega que reorientou o superintendente regional

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 11/10/2018 18:39 / Atualizado em 11/10/2018 18:45

O Sindicato recebeu denúncias de que o superintendente regional de Santo Amaro incorreu repetidamente em práticas de assédio moral, com a exposição de ranking individual de performance e cobranças de metas por meio do WhatsApp.

Antes do Sindicato encaminhar a denúncia, a SR Santo Amaro já havia sido denunciada outras duas vezes, quando a entidade conversou com o gestor, que acatou a denúncia e parou com os abusos, mas depois de um tempo retomou a postura assediadora.  

“As denúncias que chegaram até o Sindicato – que nós confirmamos, inclusive, com depoimentos de outros empregados e vimos as mensagens e os grupos – relatam que gerentes que tinham um ´gap` de vendas em algum produto eram mantidos em grupos de WhatsApp até zerar o gap. Aterrorizados, os gerentes temem ficar por último no grupo com os regionais. Ou, colocando de forma mais clara, eram expostos no grupo até baterem a meta”, explica o diretor do Sindicato e coordenador da CEE/Caixa, Dionísio Reis. 

“Além disso, a denúncia revela que a cobrança de metas no WhatsApp – insustentáveis e fora do Realize –  são diárias. Uma gestão pautada em medo e punição. Um exemplo relatado é de que quando o empregado não bate a meta vai para o que chamam de 'sala do castigo', para suposto apoio tático ao regional”, acrescenta.

O dirigente lembra que a Convenção Coletiva de Trabalho dos bancários veda, ao gestor, “a cobrança de cumprimento de resultados por mensagens, no telefone particular do empregado” e também proíbe a exposição pública de ranking individual, “práticas que se enquadram como assédio moral e são ilegais imorais e fatores de adoecimento do trabalhador bancário”.

Resposta da Caixa

Em resposta à denúncia, a Caixa informou que o superintendente foi reorientado a “aprimorar sua comunicação, critérios que valorizem as competências individuais e as atribuições da função gratificada que cada empregado exerce”. Além disso, o banco afirma que foram “reforçados os princípios de Clareza e Transparência na Comunicação, Respeito nas Relações de Trabalho e Profissionalismo e ressaltado que o diálogo entre os gestores e seus empregados é uma boa prática para dirimir situações de conflitos”.

Denuncie

O Sindicato ficará atento para assegurar que essas situações de assédio moral realmente tenham cessado na SR Santo Amaro. 
“Todo empregado que enfrente uma situação de assédio moral tem um canal totalmente sigiloso para fazer sua denúncia (CLIQUE AQUI). É importante que o trabalhador não fique submisso frente ao assédio. A única forma segura de combatê-lo é denunciando ao Sindicato”, conclui Dionísio.
 



Voltar para o topo