Pós-golpe!

EBC: trabalhadores em greve contra intransigência e censura da direção

Segundo jornalistas e radialistas, após sucessivas reuniões não houve disposição de negociar por parte da empresa pública; além de não apresentar proposta de reajuste, querem retirar cláusulas conquistadas em acordo anterior

  • Rede Brasil Atual com edição da Redação Spbancarios
  • Publicado em 14/11/2017 16:03 / Atualizado em 14/11/2017 16:03

Jornalistas e radialistas paralisam atividades contra censura e retirada de direitos

Foto; EBC

São Paulo – Jornalistas e radialistas da Empresa Brasil de Comunicação entraram em greve a partir da meia-noite da terça-feira 14, depois de a direção da EBC se negar a discutir reajuste salarial e ameaçar retirar direitos previstos em acordo coletivo. 

Os trabalhadores denunciam que a empresa quer congelar salários e propôs reajuste zero para cláusulas econômicas, como vale-refeição, auxílio-creche e auxílio para pessoas com deficiência. Quer, ainda, acabar com o vale-cultura e com a multa em caso de descumprimento do acordo coletivo. 

Eles afirmam que a greve é decorrente da intransigência da EBC em negociar com os funcionários. Foram oito reuniões em que a empresa não apresentou propostas para cláusulas econômicas. Enquanto os trabalhadores cederam em diversos pontos, de modo a preservar o acordo coletivo anterior, a EBC recuou apenas pontualmente na sua proposta que avança sobre direitos conquistados. 

Em defesa da comunicação pública, os jornalistas e radialistas da EBC denunciam ainda perseguições políticas, casos de censura e ameaças da parte da diretoria nomeada pelo governo Temer há um ano. 

Com sede em Brasília e filiais no Rio de Janeiro, São Paulo, Maranhão e Rio Grande do Sul, a EBC faz a gestão da TV BrasilTV Brasil InternacionalAgência BrasilPortal EBCRadioagência Nacional e do Sistema Público de Rádio – composto por oito emissoras.



Voltar para o topo