Caixa Federal

Caixa: Sindicato arranca compromissos para melhorar clima na Gigad

Banco se comprometeu a reorientar gestão da unidade na busca por melhorias das condições de trabalho, após denúncias de assédio moral e de abaixo assinado abusivo

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 29/11/2018 19:15 / Atualizado em 29/11/2018 20:26

Ato deflagrado em 2016 contra a reestruturação da Caixa que iria resultar na extinção da Girec (atual Gigad)

Foto: Mauricio Morais

Em reunião com representantes dos empregados, a Gegad reconheceu o péssimo clima instalado na Gigad/SP por conta do conflito após diversos abusos. A Gigad é subordinada à Gegad. Os integrantes do banco também se comprometeram a reorientar a gestão da unidade a fim de evitar que as práticas continuem.

Caixa: luta por melhores condições na Gigad continua

O compromisso foi estabelecido nesta quinta-feira-feira 29, na reunião entre representantes do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e da Apcef/SP; e da Gegad, Gipes e Jurídico da Caixa.

Faça a sua sindicalização e fortaleça a luta em defesa dos direitos dos bancários
Assine o boletim eletrônico com notícias específicas da Caixa

A reunião foi agendada após denúncias de assédio moral e de um abaixo-assinado que passou a circular na unidade e que foi usado pela gestão para coagir os empregados a negarem os abusos.

“Deixamos claro que promover abaixo-assinados com esse fim não é função da gestão de uma empresa. Agora temos o compromisso de, todos juntos, construírem um ambiente de trabalho melhor e mais saudável, sem perseguições e discriminações contra os trabalhadores, que deverão fortalecer a organização do local de trabalho com a participação constante do Sindicato", afirma Dionísio Reis, diretor Executivo do Sindicato e da Fenae.

A entidade realizará reuniões com especialistas em saúde do trabalhador, nas quais serão debatidas com os empregados a questão do assédio moral e melhores condições de trabalho.

“O objetivo do Sindicato e da Apcef/SP é construir um ambiente de trabalho melhor para gerar qualidade de vida aos empregados, que, juntos terão, nos próximos anos, a missão de defender a Caixa, seu caráter público, social, e deverão lutar contra o seu encolhimento”, reforça Dionísio, lembrando que no mesmo dia da reunião foi realizado ato em defesa da empresa pública e contra a privatização da Lotex.



Voltar para o topo