Itaú

Bancários aprovam acordo de PCR com Itaú

Programa Complementar de Resultados, fruto de longo processo de negociação entre representantes dos funcionários e do banco, terá validade de dois anos

  • Publicado em 21/12/2016 15:37 / Atualizado em 06/03/2017 21:29
Redação, Spbancarios
21/12/2016
*Atualizado em 28/12/2016


São Paulo – Os funcionários do Itaú aprovaram por unanimidade a renovação do acordo do Programa Complementar de Resultados (PCR), que terá validade de dois anos - 2017 e 2018. A decisão ocorreu em assembleia realizada na terça 20.

“Foi um longo processo de debate, mas que resultou em avanços aos trabalhadores por dois anos. As regras foram negociadas e estão claras para todos. Além disso, o PCR é pago sem que haja desconto da Participação nos Lucros e Resultados da categoria”, afirma a diretora executiva do Sindicato Marta Soares.

Os trabalhadores asseguraram, por exemplo, a reposição da inflação, medida pelo INPC, mais 1% de aumento real em ambos os anos.

O valor sobre o qual o reajuste será calculado vai variar de acordo com a rentabilidade do banco, a ROE (retorno sobre o patrimônio líquido). Se a ROE for até 23%, o PCR será de R$ 2.468 mais INPC e 1% de aumento real. Se a ROE for maior que 23%, o valor passa a R$ 2.587,00 mais INPC e 1% de aumento real.

Esse acordo é extensivo aos financiários da holding Itaú, Luizacredi e Microinvest.


Voltar para o topo