Assessoria

Bancários denunciam o desmonte do Banco do Brasil

Após o desligamento de 9,4 mil empregados, o Banco do Brasil prepara uma nova reestruturação; Sindicato protesta nesta segunda (18)

  • Publicado em 18/12/2017 09:33

O desmonte dos bancos públicos continua. Após tentativa de mudança estatutária na Caixa Econômica, pelo Conselho de Administração (CA) do banco, agora é a vez do Banco do Brasil. Nesta segunda-feira o Conselho do BB se reúne em Brasília e os bancários fazem ato em frente a uma unidade do banco, em frente ao Shopping Cidade São Paulo (Av. Paulista, 1230), a partir das 11h.

“O banco vem anunciando, de forma velada, nova reestruturação, com mais desligamentos e fechamentos de agências em todo o país. A população precisam estar atenta e a categoria está mobilizada”, critica o diretor executivo do Sindicato e bancário do Banco do Brasil, Ernesto Izumi.

“O desmonte dos bancos públicos é um problema que não afeta somente os trabalhadores, porque tem impacto no crédito no país e prejudica o financiamento do agronegócio, habitação, obras de infraestrutura, projetos de geração de renda e políticas sociais, entre outros”, disse Ivone Silva, presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região. “Essa agenda irá aprofundar a recessão na medida em que enfraquece o mercado interno e a infraestrutura social e econômica que nos fizeram avançar na última década. Atualmente, o Banco do Brasil representa 19,6% do total de crédito no Sistema Financeiro Nacional (SFN) e 58,4% de crédito no agronegócio”.

 

Desmonte – Em novembro do ano passado, o presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, anunciou a reestruturação de agências e o plano de aposentadoria incentivada pela instituição financeira, onde foram desligados 9,4 mil funcionários. O anúncio também incluiu o fechamento de 402 agências e a transformação de outras 379 em postos de atendimento, com o encerramento de 31 superintendências do banco em diversos municípios. 

Os bancos públicos desempenham um papel fundamental na economia brasileira, pois são um importante instrumento de política econômica e de promoção ao desenvolvimento econômico e social.  São responsáveis por 56% do crédito no país, percentual que vem crescendo muito desde a crise de 2008 quando a atuação destes bancos foi fundamental para amenizar os impactos da crise no Brasil. No entanto, esta atuação tão importante vem sendo atacada pelo atual governo. Nos últimos 12 meses o crédito oferecido pelos bancos públicos teve queda de 3,2%.

 

 

Cecilia Negrão

Assessora de imprensa do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região

 (11) 99610-5594

[email protected]

www.spbancarios.com.br/assessoria 



Voltar para o topo