Resistência

Bancários protestam contra Reforma Trabalhista no Santander

  • Publicado em 21/12/2017 18:00 / Atualizado em 22/12/2017 14:12

São Paulo - Apesar do Santander ter lucro projetado de R$ 10 bilhões em 2017, o banco passou a implementar pontos da reforma trabalhista de Michel Temer: demissões em massa, imposição do fracionamento de férias, e mudanças na forma de compensação de horas extras sem qualquer negociação coletiva. E ainda, anunciou alteração das datas dos créditos do salário, do 13º e aumento da mensalidade dos planos de saúde em 20%.

Além disso, a alta direção do banco saiu em defesa da aprovação da reforma da previdência, que dificultará o direito à aposentadoria e rebaixará os valores dos benefícios.

Por isso, os bancários protestam e cobram a interrupção dessas medidas prejudiciais aos trabalhadores, além da abertura das negociações com o movimento sindical.



Voltar para o topo