webtv

Bancos já estão ganhando com reforma da Previdência

A PEC 287 nem foi à votação, mas instituições financeiras já registram aumento de 30% na venda de planos de previdência privada. Bancos também estão entre os maiores devedores do INSS

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 07/12/2017 17:40 / Atualizado em 07/12/2017 19:06

São Paulo - A reforma da Previdência nem foi aprovada, mas o sistema financeiro já lucra com o temor dos brasileiros de perderem seu direito à aposentadoria pública, caso as mudanças propostas pelo governo Temer passem no Congresso Nacional. A PEC 287 prevê aumento da idade mínima, ampliação do tempo de contribuição e redução dos valores dos benefícios. Na prática: trabalhar mais, ganhar menos e ainda correr o risco de nunca se aposentar.

Só em setembro de 2017, as contribuições para a previdência privada nos bancos cresceram 30%, ao somar R$ 9,5 bilhões, destaca o economista do Dieese Gustavo Cavarzan, durante o último Momento Bancário com a Presidenta, que foi exibido ao vivo pelo site e redes sociais do Sindicato na terça-feira 5.

"Esvaziar a previdência pública abre um mercado gigantesco. Bradesco, Banco do Brasil, Itaú, Santander são os principais operadores de planos de previdência privados. Só o anúncio de uma possível reforma fez crescer 30% as contribuições para esse tipo de plano. A gente começa entender os interesses que estão por traz são muito poderosos. Precisamos explicar para a população o que realmente está em jogo", disse o economista.

Cavarzan destaca ainda que só nos três maiores bancos do país (Itaú, Banco do Brasil e Bradesco) o setor de seguro e previdência privada trouxe R$ 60 bilhões de receitas, em 2016. "Eles avaliam esse segmento como de grande potencial de crescimento."

Além de estarem entre os setores que mais ganhariam com uma possível reforma da Previdência, os bancos ainda estão entre os maiores devedores do INSS. O desfalque desse grupo de empresas aos cofres públicos chega a mais de R$ 400 bilhões.

"Essas empresas estão fazendo propaganda em favor da reforma", destaca Neiva Ribeiro, secretária-geral do Sindicato ao lembrara que há 86 parlamentares associados a empresas que devem R$ 372 milhões ao INSS.

"Quando na mídia você vê falando que a Previdência é deficitária, estão levando em consideração somente as contribuições dos trabalhadores, sem levar em consideração as dos patrões e as contribuições que o governo é obrigado a fazer para que previdência, assistência social e a saúde estejam garantidas. Essa é a grande pegadinha."

> Cartilha mostra que não há rombo na Previdência Social
> Assista aqui ao programa na íntegra.

MB com a Presidenta – O programa de webtv vai ao ar às terças-feiras, às 18h, com transmissão ao vivo pelo canal do YouTube da TV dos Bancários (TVB), site do Sindicato e Facebook. É um espaço de entrevistas, que aborda assuntos de interesse dos bancários, dos direitos dos trabalhadores e de cidadania.



Voltar para o topo