Assessoria
Assessoria

Bancários entregam termos de compromisso à Fenaban para evitar desmonte trabalhista

Categoria fechou acordo de dois anos em 2016; Mobilização será em defesa dos direitos retirados pela Reforma Trabalhista

  • Publicado em 10/08/2017 13:08

O Comando Nacional dos Bancário entregou para a Federação dos Bancos (Fenaban), nesta terça-feira (08), um Termo de Compromisso em defesa dos empregos e contra a retirada de direitos dos trabalhadores.

O documento foi entregue após uma rodada de negociação com os bancos, com discussão de algumas clausulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria, como a 37 (monitoramento de resultados) e 65 (adiantamento emergencial de salários em período transitórios de afastamento por doença).

“Entregamos um termo de compromisso contra a retirada de direitos e queremos a manutenção das conquistas históricas da nossa categoria. Não vamos aceitar, por exemplo, que as negociações sejam feitas sem os Sindicatos, nem as contratação de terceirizados em atividades-fim”, disse Ivone Silva, presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região. “Aguardamos uma resposta dos bancos, que mantem no Brasil seus lucros crescentes e, como concessão pública, têm a obrigação de gerar emprego e contribuir para a melhoria da economia e o desenvolvimento do país”.

O documento pode ser lido na integra no site do Sindicato (spbancarios.com.br) e foi aprovado após uma Conferência Nacional, com representantes de bancários de todo o país, no fim do mês de julho.  Os encaminhamentos aprovados incluem aprofundar impactos da Reforma Trabalhista e resistência na implementação nos bancos, a luta pelo emprego e combate à  terceirização sem limites e precarização do trabalho, a luta pelo reestabelecimento do Estado democrático de direito, fortalecimento dos bancos e empresas públicas, combate à terceirização e fortalecimento da democracia, entre outros.

Lucro dos bancos – O lucro líquido dos cinco maiores bancos atuantes no Brasil (Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Itaú-Unibanco e Santander), nos três primeiros meses do ano, atingiu a marca de R$ 17,3 bilhões, com crescimento de 30% em relação ao mesmo período do ano passado.

Emprego – Apenas no primeiro semestre deste ano os bancos fecharam quase 11 mil postos de trabalho. O setor financeiro passa por uma forte reestruturação tecnológica com impacto profundo no emprego bancário. A digitalização das transações bancárias e de diversas etapas do trabalho avança a cada ano, sendo que hoje 57% das transações financeiras são realizadas na internet ou no celular. 

Dados da Categoria - Os bancários são uma das poucas categorias no país que possui Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) com validade nacional. Os direitos conquistados têm legitimidade em todo o país. São cerca de 504 mil bancários no Brasil, sendo 142 mil na base do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, o maior do país.

 

Cecilia Negrão
Assessora de imprensa do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região
(11) 99610-5594



Últimas notícias

Bancários têm forte adesão à greve geral em São Paulo

Assessoria - 28/04/2017 16:39

Governo Temer investe no desmonte dos bancos públicos

- 21/11/2016 00:00

Campanha salarial dos bancários terá impacto de R$ 12 bilh...

- 11/10/2016 00:00

Bancos privados e BB decidem pelo fim da greve em assembleia...

- 10/10/2016 00:00

Caixa Econômica decide pelo fim da greve em São Paulo

- 10/10/2016 00:00

Voltar para o topo