#8M

Mulheres são as primeiras a perder direitos

Para Clara Averbuck, falar sobre a reforma trabalhista nos debates do 8 de março é de extrema importância, porque as mulheres são as mais prejudicadas

  • Publicado em 13/03/2018 18:40 / Atualizado em 13/03/2018 18:58

São Paulo - Em qualquer perda de direitos que existe, as mulheres são sempre as primeiras a serem atingidas. A gente está sempre na linha de frente. São sempre os nossos direitos que estão em jogo primeiro. É sempre nosso salário que está em jogo. Sempre a nossa vida, diante de tanta violência, que está em jogo. (Clara Averbuck, feminista e escritora)

“Na categoria bancária, tem turnover (rotatividade): demite um cara que ganha mais, contrata um no começo de carreira e você paga menos. E assim os bancos lucram mais. E os dados são terríveis, comparando o mesmo período do ano passado, o salário médio mensal caiu bastante. O abismo que existe entre homens e mulheres aumentou mais ainda. E, se você for falar da população negra, é pior ainda. Os critérios são muito cruéis. A discriminação que ocorre no mercado de trabalho se reproduz na categoria bancária” (Érica Oliveira, secretária de Formação do Sindicato, que apresentou o Momento Bancário).

A luta das mulheres em defesa da democracia, pela equidade de gênero e contra a retirada de direitos é tema central do Momento Bancário com a Presidenta, durante todo o mês de março, em razão do Dia Internacional da Mulher.

Assista aqui a íntegra do programa dessa segunda 12 de março. 

MB com a Presidenta – O programa de webtv vai ao ar segundas- feiras, às 18h, com transmissão ao vivo pelo canal do YouTube da TV dos Bancários (TVB), site do Sindicato e Facebook. É um espaço de entrevistas, que aborda assuntos de interesse dos bancários, dos direitos dos trabalhadores e de cidadania.



Voltar para o topo