Nas alturas

Itaú tem lucro de R$ 6,9 bilhões no 1º trimestre

Resultado representa crescimento de 7,1% em relação ao mesmo período de 2018 e de 6,2% no trimestre; mesmo assim, nos últimos três meses banco cortou 597 postos de trabalho

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 03/05/2019 16:26 / Atualizado em 03/05/2019 16:46

O Itaú obteve lucro líquido recorrente de R$ 6,9 bilhões no 1º trimestre, crescimento de 7,1% em relação ao mesmo período de 2018 e de 6,2% nos primeiros três meses do ano. Mesmo com o excelente resultado, o Itaú fechou 597 postos de trabalho somente nos três primeiros meses do ano.

“Apesar de acumular saldo positivo de contratações em 12 doze meses, o ano de 2019 começou com o fechamento de muitos postos de trabalho pelo Itaú. Uma política de cortes injustificável para um banco que apresenta resultados cada vez melhores. O Itaú deveria ter responsabilidade social, conceito tão valorizado na sua publicidade, e não contribuir para a já altíssima taxa de desemprego no país”, enfatiza a presidenta do Sindicato e bancária do Itaú, Ivone Silva.

A receita com prestação de serviços e tarifas bancárias cresceu 1,5% em doze meses, totalizando R$ 9,4 bilhões. Apenas com essa receita, o Itaú cobre 161% do total de suas despesas de pessoal, incluindo a PLR.

“O balanço do 1º trimestre demonstra claramente que existe muito espaço para ampliar as contratações e cessar a política de fechamento de postos de trabalho”, conclui Ivone.

Outros números

A Carteira de Crédito apresentou crescimento de 7,7% em doze meses e 1,6% no trimestre, atingindo R$ 647,1 bilhões.

As operações com pessoas físicas (PF) cresceram 12,7% em relação a março de 2018, chegando a R$ 214,7 bilhões, com destaque para cartão de crédito (+17,6%), veículos (+15,7%) e crédito pessoal (+13,7%).

As operações com pessoas jurídicas (PJ) somaram R$ 264,8 bilhões, com alta de 5,6%. O segmento de grandes empresas caiu 1,5%, enquanto o segmento de micro, pequenas e médias teve alta de 17,5% em doze meses. Na América Latina, a carteira de crédito cresceu 10,6%.

O Índice de Inadimplência superior a 90 dias manteve-se estável no período, ficando em 3,7%. As despesas com provisão para devedores duvidosos tiveram alta de 6,3% no 1º trimestre, em relação ao mesmo período do ano anterior.

Foram fechadas 60 agências físicas e abertas 35 agências digitais, que somam 3.527 e 195 unidades, respectivamente.



Voltar para o topo