Campanha 2018

Banco do Brasil apresenta proposta insuficiente e incompleta

Comando Nacional orienta rejeição nas assembleias desta quarta-feira 8

  • Contraf-CUT, com edição de Spbancarios
  • Publicado em 07/08/2018 18:00 / Atualizado em 07/08/2018 19:32

Foto: Jailton Garcia/Contraf-CUT

O Banco do Brasil apresentou nesta terça-feira 7, na sexta rodada específica de negociação, uma proposta incompleta e insuficiente em relação às demandas dos funcionários, principalmente no que diz respeito às cláusulas econômicas. A proposta do banco é de manutenção da maioria dos itens do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) e pela vigência que for firmada na mesa única de negociação. O BB acompanhou a proposta de reajuste oferecida pela Fenaban e ofereceu apenas o reajuste da inflação no período (1º de setembro de 2017 a 31 de agosto de 2018), ou seja, sem aumento real.

> Faça a sua sindicalização e fortaleça a luta em defesa dos direitos dos bancários

Na proposta do Banco do Brasil, houve ajustes em alguns pontos específicos. Um deles é a cláusula sobre ciclos avaliatórios para descomissionamentos. O banco havia proposto um semestre, mas agora propõe dois semestres.

Outras cláusulas serão discutidas, entre elas a proposta de intervalo de almoço e parcelamento de férias. O BB também não apresentou a proposta de renovação do protocolo de resolução de conflitos, que mantém um canal para as denúncias de assédio moral. A Comissão de Empresa avalia que assim como os ciclos de GDP, essa cláusula é uma proteção para os funcionários. Um ponto positivo da proposta é na cláusula de ausências autorizadas, onde serão incluídos padrastos e madrastas dos funcionários.   

A proposta do BB será encaminhada para avaliação nas assembleias que ocorrerão nas bases de todos os sindicatos do Brasil, nesta quarta-feira 8. A do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região será na Quadra dos Bancários (Rua Tabatinguera, 192, Sé), a partir das 19h. A mesma assembleia apreciará a propsta da Fenaban, e o Comando Nacional dos Bancários orienta sua rejeição. 

Insuficiente e incompleta

Para Wagner Nascimento, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, a proposta do banco é insuficiente e incompleta. “Desta forma, a análise fica prejudicada e nossa orientação nas assembleias desta quarta-feira é pela rejeição, até que se tenha uma nova proposta. Queremos respostas que atendam às reivindicações dos bancários em outros itens além dos econômicos, como segurança bancária, melhoria nas questões de saúde e também de previdência.”

Saiba como foram as negociações anteriores com o Banco do Brasil na Campanha dos Bancários 2018:

> Banco do Brasil propõe reduzir prazo de descomissionamento e não avança na pauta
> Terceira negociação com BB traz poucos avanços
> Segunda mesa com BB define abrangência do acordo
> BB mostra disposição para negociar com funcionários
> Mesa de negociação com BB fica zerada na pauta econômica



Voltar para o topo