Dia de luta

Manifestação reforça importância do BB e da Caixa

Sindicato foi às ruas em mais um dia de atividades em defesa dos bancos públicos e repercutiu declaração do prefeito de São Paulo, João Doria, que novamente disse ter interesse em entregar patrimônio da sociedade para os bancos privados

  • Danilo Motta , Redação Spbancarios
  • Publicado em 13/09/2017 19:01 / Atualizado em 13/09/2017 19:10

Adesão ao abaixo-assinado, como sempre, foi grande

Foto: Seeb-SP

São Paulo – O Sindicato realizou mais um dia de luta em defesa dos bancos públicos. Dirigentes das regionais foram às ruas distribuir material informativo sobre a importância destas instituições para toda a sociedade e coletar assinaturas para o abaixo-assinado contra os desmontes que vêm sendo promovidos pelo governo federal.

O grupo aproveitou, também, para criticar a declaração do prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), sobre o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. O tucano reafirmou, na terça-feira 12, que o Brasil não precisa de dois bancos públicos e defendeu a privatização de um deles. Em nota, o Sindicato rechaçou a postura do tucano.

“Os dois bancos têm atuações diferentes. A Caixa é mais voltada para o social, respondendo pelo FGTS, que muitos bancos privados querem, e programas sociais, como o Minha Casa, Minha Vida. O BB atua no desenvolvimento econômico de atividades como agricultura, que é 70% financiada pelo banco com taxas mais baratas e importantes para a gente continuar consumindo alimentos mais baratos. Há também outras áreas, como a indústria, em que bancos públicos são fundamentais. O BNDES é um exemplo disso”, explicou João Fukunaga, secretário de Assuntos Jurídicos do Sindicato e bancário do BB.

O ato ocorreu em todas as regiões da cidade de São Paulo e em Itapecerica da Serra, município da Grande São Paulo. No Itaim Paulista, zona leste da capital, contou com a adesão de comerciantes locais, profissionais do Samu e dos Correios, que manifestaram apoio à mobilização.

“Além das pautas específicas dos bancos públicos, conversamos muito com a população sobre a PEC do Fim do Mundo, que congela os investimentos públicos por 20 anos, e a perda de direitos representada pela reforma trabalhista. Todos esses ataques estão vinculados uns aos outros, com o intuito de diminuir o papel do Estado. Alertamos também da necessidade de mobilização de todos, para acompanharem as informações nos sites da CUT, e virem juntos às manifestações”, ressaltou Chico Pugliesi, dirigente sindical e empregado da Caixa.

Os trabalhadores que quiserem participar da mobilização em defesa dos bancos públicos podem imprimir o formulário do abaixo-assinado, coletar as assinaturas – seja em seu local de trabalho, na família, entre amigos ou até mesmo no seu bairro – e entregar na sede do Sindicato (Rua São Bento, 413, Centro de São Paulo) ou até mesmo a um dos dirigentes.



Voltar para o topo