Itaú

Nada de festa para bancários com 30 anos de Itaú

Banco acabou com tradicionais homenagens aos funcionários que dedicaram três décadas de trabalho à instituição; Sindicato cobra esclarecimentos e respeito

  • Publicado em 19/12/2016 12:08
Redação Spbancários
19/12/2016


São Paulo – Uma festa, ações e um relógio de ouro. Estas homenagens, consideradas uma tradição no Itaú, eram concedidas aos bancários que completavam 30 anos de vínculo com o banco. Porém, ano após ano, tais honrarias foram minguando. O relógio e as ações já não fazem parte do “pacote”. E, em 2016, nem mesmo a festa foi realizada.

“Eu completei 30 anos de banco e estava esperando pela festa, pelo relógio. É algo que mexia com a gente. Colegas até apostavam para ver quem permaneceria 30 anos no banco e receberia o relógio. Era um reconhecimento, um símbolo de toda a nossa dedicação”, relata uma bancária.

“Estamos todos decepcionados. Tenho uma amiga que até já tinha planejado a roupa para a festa. Eles não tiveram a decência de nos informar sobre nada, mesmo a gente tendo solicitado esclarecimentos no Portal Pessoas. Só tivemos certeza sobre o fim das homenagens depois que acionei o Sindicato. O Itaú que eu conheci morreu. Eu tive uma grande alegria quando entrei no banco e terei outra quando sair”, acrescenta a funcionária.

“Estes bancários, que já são heróis só por terem conseguido resistir as constantes e cada vez mais frequentes ondas de demissões, não merecem tratamento tão desrespeitoso. Nenhum programa de corte de custos pode passar por cima das pessoas desta maneira. Exigimos respeito”, enfatiza a diretora do Sindicato e funcionária do Itaú Valeska Pincovai.

O Sindicato vai cobrar que o banco respeite os bancários e os esclareça sobre os motivos que motivaram o cancelamento das homenagens. 


Voltar para o topo