Banco do Brasil

Chapa eleita na Cassi presta contas ao banco

Assuntos tratados no encontro não foram divulgados pela chapa Mais União, formada em grande parte por altos executivos aposentados; falta de transparência e proximidade com a gestão do BB coloca direitos dos associados em risco

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 06/04/2018 19:09 / Atualizado em 06/04/2018 19:12

São Paulo – A chapa Mais União, vencedora das eleições da Cassi, nem mesmo tomou posse na caixa de assistência dos funcionários do Banco do Brasil e já se reuniu com o banco. O tema da reunião não foi revelado pela chapa, formada em grande parte por altos executivos aposentados do BB.

Assine o boletim eletrônico com notícias específicas do Banco do Brasil
> Faça a sua sindicalização e fortaleça a luta em defesa dos direitos dos bancários

“A nova diretoria deve ter errado o endereço. Tinham de buscar a Cassi, mas se perderam e acabaram em uma reunião com o banco. Talvez um `ato´ falho que revele a quais interesses essa chapa eleita irá servir”, ironiza o diretor do Sindicato e bancário do BB João Fukunaga.

“Durante a campanha nós já alertávamos para os riscos de eleger uma chapa não comprometida com os associados, formada por altos executivos aposentados. Essa reunião com o BB, sobre a qual não foi prestado nenhum esclarecimento quanto aos temas abordados, é um primeiro exemplo de quais serão as prioridades dessa gestão recém-eleita. Foram mostrar ao banco a vitória que obtiveram juntos? A `união´ que sugerem no nome da chapa é entre a diretoria da Cassi e os interesses do banco?”, questiona Fukunaga.

O diretor do Sindicato alerta que hoje os associados da Cassi, da ativa e aposentados, enfrentam uma conjuntura de retirada de direitos imposta tanto pelo governo federal, com as resoluções da CGPAR, quanto pelo próprio banco.  

“Entre outros ataques, pretendem impor a cobrança por dependente, o que abrange não somente os filhos, mas também cônjuges dos associados, da ativa e aposentados. Também querem alterar o modelo de custeio com cobrança diferenciada por faixa etária, aniquilando o princípio da solidariedade. Nesse contexto, no qual um governo ilegítimo e a gestão do BB atacam nossas conquistas históricas de forma desavergonhada precisamos ficar alertas para defender a Cassi. Como sempre, estaremos na luta em defesa dos associados, juntamente com o Sindicato, que continuará exercendo seu papel de fiscalizar a nova diretoria e atuar pelo fortalecimento da Cassi”, conclui João.
 



Voltar para o topo