Emprego

Mercado formal abre vagas, mas longe dos melhores meses

Saldo de julho registrado pelo Caged foi de 35.900 vagas com carteira assinada, sendo 12.600 na indústria; Maior parte delas foram abertas em Sã Paulo

  • Rede Brasil Atual
  • Publicado em 10/08/2017 12:16 / Atualizado em 10/08/2017 12:17

Em 12 meses, o país ainda tem saldo negativo: -713.160 vagas

Foto: Marcos Santos / USP Imagens

São Paulo – O mercado formal de trabalho registrou pequeno saldo positivo em julho, de 35.900 vagas com carteira a mais, sendo 21.805 em São Paulo, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado na tarde desta quarta-feira 9 pelo Ministério do Trabalho. Foi o quarto resultado mensal positivo seguido, ainda que distante de outros períodos – em 2004 e 2008, por exemplo, o saldo do Caged para julho superou os 200 mil. Em igual mês de 2015 e 2016, o país perdeu postos de trabalho. 

Cinco dos oito setores de atividade tiveram crescimento no mês passado, com destaque para a indústria de transformação (acréscimo de 12.594 empregos com carteira assinada), comércio (10.156), serviços (7.714) e agropecuária (7.055). A construção civil abriu 724 vagas formais. Tiveram retração Serviços Industriais de Utilidade Pública, que inclui áreas como água, saneamento e energia (-1.125 postos), administração pública (-994) e o setor extrativo-mineral (-224).

Na indústria, o segmento que mais abriu vagas foi de produtos alimentício, bebidas e álcool etílico: 7.995. Também criaram postos de trabalho as áreas de material de transporte, química e têxtil, entre outras. A atividade de borracha e fumo fechou 2.318.

No ano, o Caged tem saldo de 103.258 vagas – menor que os saldos apenas do mês de julho de 2015 a 2012. Em 12 meses, o país ainda tem resultado negativo: -713.160.

O estoque de empregos com carteira chegou a 38,4 milhões – ou exatos 38.391.275.



Voltar para o topo