Deforma trabalhista

Sindicato recupera mais de R$ 142 mil para bancários do Itaú

Banco fez uma série de cálculos equivocados no pagamento de férias para trabalhadores demitidos; erro foi observado porque trabalhadores fizeram homologação no Sindicato

  • Danilo Motta, Redação Spbancarios
  • Publicado em 09/02/2018 10:58 / Atualizado em 09/02/2018 17:27

Foto: Taís Nozue / Arquivo / Seeb-SP

São Paulo – O Itaú vem protagonizando uma série de equívocos ao realizar o pagamento de verbas indenizatórias para bancários demitidos. Segundo levantamento realizado pelo setor de homologações do Sindicato, somente nos meses de dezembro de 2017 e janeiro de 2018, foram mais de R$ 142 mil reais que o banco deixaria de pagar aos funcionários desligados se não fosse a revisão realizada pelos profissionais da entidade.

“O valor refere-se apenas ao pagamento de férias que o banco calculou erroneamente e que acarretaria prejuízo aos bancários neste momento tão delicado para a vida do trabalhador que é a demissão”, afirma Marta Soares, dirigente do Sindicato e bancária do Itaú. 

Em um dos casos, o banco realizaria o crédito faltando R$ 16 mil que um bancário teria direito. O valor foi corrigido no momento da homologação, e o banco assinou um temo de compromisso, comprometendo-se a realizar o pagamento da diferença.

“Esse é apenas um dos motivos para que a homologação seja feita exclusivamente no Sindicato. Se não fosse a revisão realizada pelos nossos profissionais, muitos bancários receberiam indenizações inferiores àquelas que de fato têm direito. É por isso que criticamos a postura do Itaú de deixar de realizar as homologações no Sindicato”, reforça Marta.

Em janeiro, o Itaú informou que iria implementar diversos pontos da reforma trabalhista – incluindo o fim da homologação sendo feita no Sindicato. A medida unilateral do banco, sem diálogo com os trabalhadores, provocou protestos em várias partes do Brasil.

Fique seguro – Mas atenção, bancário! Mesmo que o Itaú obrigue a realizar a homologação fora do Sindicato, os profissionais da entidade ainda podem te auxiliar.

> Fique atento: homologação fora do Sindicato é roubada

Você pode realizar a sua pré-homologação no Sindicato, trazendo sua carteira de trabalho, os últimos doze holerites e o extrato do FGTS, se tiver. Assim, será possível calcular o valor que o banco deverá creditar na ocasião do seu desligamento.

Caso você já tenha realizado a homologação, é possível fazer uma nova conferência aqui no Sindicato. Basta trazer os mesmos documentos, que os profissionais da entidade irão checar se o valor pago pelo banco foi, de fato, o devido. Mas fique atento! Ao assinar o termo de quitação, você estará abrindo mão de cobrar judicialmente possíveis valores pagos incorretamente. Por isso é fundamental passar no Sindicato antes de mais nada. Assim você terá mais segurança de que receberá tudo que tem direito.

> Fortaleça o Sindicato: sindicalize-se!

Opção - A Comissão de Conciliação Voluntária (CCV) é uma forma de conciliação extrajudicial que consiste em alternativa para reaver direitos trabalhistas que não foram cumpridos pelo banco no contrato de trabalho.

A CCV para bancários do Itaú segue sendo instalada no Sindicato, mesmo com a decisão do banco de parar de realizar, no âmbito da entidade, a homologação dos bancários desligados.



Voltar para o topo