Democracia

Chapa 1 vence eleição para diretoria do Sindicato

Com Ivone Silva para a presidência, trabalhadores votaram pelo projeto que mantém a categoria bancária forte, organizada e mobilizada em torno da defesa dos direitos e na luta por novas conquistas

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 29/04/2017 06:47 / Atualizado em 02/05/2017 12:18

Atual presidenta Juvandia Moreira saúda a eleita Ivone Silva ao final da apuração

Foto: Mauricio Morais

São Paulo - Uma noite inteira de apuração e às 5h20 do sábado 29 os bancários já conheciam a diretoria que estará à frente do Sindicato até 2020. A chapa 1 venceu com 78,76% dos votos a eleição realizada entre os dias 25 e 28 de abril. Foram 18,26% dos votos para a chapa 2; 1,79% nulos e 1,19% em branco. Mais de 23 mil trabalhadores foram às urnas.

“Essa votação tão expressiva é a manifestação explícita do reconhecimento dos bancários da gestão que está à frente da entidade”, afirma Ivone Silva, atual secretária-geral do Sindicato, que presidirá a entidade. “Luta conjunta que tem garantido aos trabalhadores, ao longo dos anos, avanços e conquistas. União mais importante do que nunca, agora, quando vivemos sob a constante ameaça de retirada de direitos. Vamos continuar juntos nessa luta em defesa dos empregos, salários, melhores condições de trabalho e por uma sociedade cada vez mais justa e igualitária, na qual os bancários possam exercer sua fundamental função social.”

Dia de luta – O último dia da eleição do Sindicato foi também o dia da greve geral que tomou conta do país na sexta 28 de abril.

Na abertura da apuração dos votos, à noite, dirigentes bancários representantes das maiores centrais sindicais do país falaram sobre a importância da participação da categoria na luta contra a retirada de direitos (foto abaixo).

“A greve geral foi um sucesso, uma grande resposta dos trabalhadores à retirada de direitos que o governo Temer quer impor aos brasileiros”, afirmou o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), o bancário Vagner Freitas, na Quadra. “E os bancários deram um exemplo, participando da eleição e da greve de forma massiva.”

Foto: Mauricio Morais

Uma lição de democracia - A eleição do Sindicato tem as dimensões das realizadas em algumas cidades do país. São milhares de bancários sindicalizados com direito a voto, distribuídos em cerca de 3 mil locais de trabalho nas cidades de São Paulo, Osasco e mais 15 municípios da região. Ao todo, 228 urnas saíram da Quadra, no centro da capital, para percorrer centenas de quilômetros e chegar aos locais de trabalho, mesmo naqueles nos quais seria recolhido somente um voto.

A coleta de votos foi feita também junto aos associados que trabalham em período noturno. Aposentados votaram na sede do Sindicato e cédulas em braille permitiram que bancários com deficiência visual participassem com tranquilidade.

“Tudo para que os bancários exerçam seu legítimo direito ao voto e a diretoria escolhida na eleição do Sindicato represente a vontade soberana da categoria. Um exemplo de democracia”, afirmou o presidente da Comissão Eleitoral, Luiz Cláudio Marcolino, dando por encerrado o pleito.


 



Voltar para o topo