Campanha 2018

Financiários entregam pauta de reivindicações à Fenacrefi

Documento foi aprovado durante a 3ª Conferência Nacional dos Financiários, realizado no início de maio

  • Contraf-CUT, com edição de Redação Spbancarios
  • Publicado em 15/05/2018 16:45

Coordenadoras do Comando Nacional, Ivone Silva e Juvandia Moreira participaram da reunião de entrega da pauta dos financiários à Fenacrefi

Foto: Jailton Garcia/Contraf-CUT

Os financiários entregaram, na manhã da terça-feira 15, a pauta de reivindicações da Campanha Nacional 2018 à Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Fenacrefi), na sede da entidade patronal, em São Paulo.

O documento foi aprovado durante a 3ª Conferência Nacional dos Financiários, realizada no início de maio, e aprovado em assembleia, em São Paulo, na quarta-feira 9.

“Esta será a primeira mesa de negociação que acontece depois da aprovação da reforma trabalhista, que impacta diretamente em inúmeros direitos dos trabalhadores”, lembrou a presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira. “Por isso, é importante garantirmos que a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) valha para todos e que a cláusula da ultratividade seja mantida, para que os trabalhadores tenham seus direitos protegidos caso a negociação se estenda para depois da data-base, que é 1º de junho”, completou ela, que é uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários.

“Reafirmamos nossa total disposição para negociar e avançarmos em vários aspectos específicos dos financiários”, garantiu Ivone Silva, presidenta do Sindicato, também coordenadora do Comando Nacional.

Para Jair Alves, coordenador do coletivo dos financiários, a presença da coordenação do Comando Nacional na entrega da pauta à Fenacrefi mostra a importante dessa negociação. “Por isso cobramos o fechamento de uma agenda de negociações para finalizarmos o mais rápido possível uma campanha vitoriosa para os financiários.”

A Fenacrefi se comprometeu a enviar, no próximo dia 23, uma proposta de calendário de negociações para avaliação dos representantes dos trabalhadores.



Voltar para o topo