Desrespeito

Santander demite bancária com perícia agendada no INSS

Mais uma mostra da falta de respeito com bancários que ficaram doentes trabalhando para o banco; casos são cada vez mais comuns e reforçam perda dos direitos dos trabalhadores  

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 17/07/2017 18:43 / Atualizado em 17/07/2017 19:31

São Paulo – Os bancários do Santander que desenvolvem doença relacionada ao trabalho são obrigados a encarar dois problemas. Além da enfermidade, enfrentam os desrespeitos do banco a partir do momento em que se afastam da atividade laboral para cuidar da saúde. O Sindicato recebe todas as semanas diversos casos de funcionários que vivem um calvário quando adoecem trabalhando para a empresa. 

“O Santander tirou toda minha dignidade”, afirma bancária
A lógica perversa do Santander
> Santander não respeita nem a decisão do INSS

Paula (nome fictício) sofreu duas violências: um assalto dentro da agência e ameaças de um policial barrado na porta giratória. Por conta disso, desenvolveu transtornos psicológicos comprovados por exames e atestados que recomendaram afastamento.

Devido à violência e ao tratamento, ela conta que pediu diversas vezes ajuda e atenção do Santander para conseguir ser transferida para agência ou departamento em outra cidade. “O banco sempre se negou e falava para eu entrar em processo seletivo e concorrer a uma vaga. É uma omissão, só dão atenção quando o funcionário cumpre metas, tem destaque. Quando você deixa de fazer isso, torna-se um estorvo para eles.”

Mesmo com laudos e atestados recomendando afastamento, a perícia do INSS considerou-a apta para o trabalho. Enquanto aguardava a realização de uma nova perícia (um direito da trabalhadora),  o banco convocou-a para um exame médico. “Por ingenuidade eu fui. O médico ficou enrolando com assuntos estranhos para dar tempo do pessoal do RH chegar. Quando eu saí, eles me comunicaram o desligamento.”

> Temer retoma revisão de benefícios previdenciários

A advogada previdenciária Sara Quental ressalta que se o trabalhador entender que está incapaz para o retorno ao trabalho, deverá de imediato agendar perícia no INSS e comunicar ao banco a data, além de enviar ao RH da empresa laudos do médico particular comprovando o seu estado de saúde e a sua incapacidade.

Tire suas dúvidas relacionadas a doenças de trabalho como perícias, cancelamento de benefícios, atestado de afastamento e outros

“Em todos os casos, inclusive na existência de estabilidade provisória, é sabido que o banco às vezes demite o trabalhador, mas temos judicialmente a possibilidade de pleitear a reintegração do funcionário na Justiça do Trabalho”, explica a advogada.

“O Santander desrespeita profissionais que se dedicam com afinco, dia após dia, para que o banco tenha o lucro fabuloso que tem. Neste caso, demitiu injustamente uma funcionária com perícia agendada pelo INSS. Se o banco demite um trabalhador com perícia agendada, então qual é a função da perícia? Essa prática demonstra que o banco não respeita nenhuma garantia que o trabalhador tenha”, protesta a diretora executiva do Sindicato, Maria Rosani.

“Vamos  exigir do Santander o fim dessas punições injustas. Ao mesmo tempo, também já orientamos a bancária a ingressar na Justiça. Outros colegas que enfrentarem o mesmo tipo de abuso, devem procurar o Sindicato”, alerta Maria Rosani.

Se você for vítima de uma situação semelhante, denuncie ao Sindicato, acessando o canal Assuma o Controle, pelo 11-3188-5200 ou enviando Whatsapp pelo 11-97593-7749. O sigilo do denunciante é absoluto. 

 



Voltar para o topo