Defenda seus direitos

Assine projeto de lei pela anulação da reforma trabalhista

Campanha angaria assinaturas em apoio a PL de iniciativa popular contra as mudanças nocivas na CLT; é necessária adesão de 1% do eleitorado. Sindicato tem ponto de coleta no Centro de São Paulo

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 29/11/2017 12:31 / Atualizado em 29/11/2017 12:31

Sindicato tem posto de coleta de assinaturas em frente sua sede, no Centro da capital

Foto: Seeb-SP

São Paulo – Continua a todo vapor a campanha pela anulação da reforma trabalhista de Temer, que entrou em vigor no último dia 11 de novembro e que é altamente nociva aos trabalhadores (veja abaixo quadro com algums pontos da lei). A campanha, liderada pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) visa coletar assinaturas dos cidadãos para um Projeto de Lei de Iniciativa Popular (Plip) que proporá reverter as mudanças na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) previstas na nova lei (Lei 13.467). Para que o Plip possa ser protocolado no Congresso Nacional, é necessário a assinatura de 1% do eleitorado brasileiros, mais de 1 milhão de pessoas.

> Cartilha: saiba o que muda e entenda o desastre causado pela reforma trabalhista

O Sindicato está mobilizado nessa luta. Além de buscar a adesão de bancários e bancárias nos locais de trabalho, está indo às ruas pedir o apoio da população. Para isso, tem um ponto de coleta de assinaturas em frente à sua sede (Rua São Bento 413, Centro – próximo do metrô São Bento), que funciona diariamente das 10h30 às 14h30. Participe!

> Pesquisa: 79% não votarão em deputados que aprovaram lei 13.467

Bancários, trabalhadores de outra categoria e população em geral também podem assinar o projeto de lei de iniciativa popular de forma mais prática: basta acessar o link da campanha, ir em "Materiais", no alto da home do site, e imprimir o formulário de coleta de assinatura. Cada página do formulário tem espaço para oito assinaturas, portanto, convença seus familiares, vizinhos, colegas de trabalho a apoiarem essa luta contra o imenso retrocesso que representa a lei 13.467/2017.

Previdência – Além da campanha contra a Lei 13.467, os trabalhadores estão mobilizados contra a reforma da Previdência, que vai acabar com o sonho da aposentadoria e está prevista para ser votada no dia 6 de dezembro pelo Congresso. No dia 5, a CUT e demais centrais sindicais organizam uma grande mobilização nacional contra a reforma da Previdência. 

> MB com a Presidenta: O que muda com a Reforma Trabalhista?
> Livro retrata "nova" CLT: retrocesso, falácia, volúpia do capitalismo
> Lobistas patronais elaboraram emendas da reforma trabalhista

 



Voltar para o topo