A VIDA PIORA

CUT/Vox: para 84%, Temer leva o Brasil para o rumo errado

Apenas 3% aprovam o governo Temer e somente 2% dizem que a vida melhorou depois do golpe

  • Rede Brasil Atual
  • Publicado em 10/11/2017 18:08

Foto: Agência Brasil

São Paulo – Nova abordagem do levantamento feito pelo instituto Vox Populi a pedido da CUT revela que o governo de Michel Temer conduz o Brasil para o rumo errado. Esta é a opinião de 84% dos entrevistados pela pesquisa CUT/Vox em todo o país entre 27 e 31 de outubro. Temer tem aprovação de apenas 3%, seu desempenho é reprovado por 76%, e 2% (abaixo da margem de erro da sondagem) acham que a vida melhorou desde o golpe de 2016. Para 59%, a vida está pior e outros 38% disseram que nada mudou.

> Pesquisa: 79% não votarão em deputados que aprovaram lei 13.467
> CUT/Vox: 81% rejeitam reforma trabalhista. Lute contra!

As piores avaliações negativas do governo estão no Nordeste (83%). Temer também tem avaliação ruim entre jovens (76%) e adultos (77%), que mais sofrem com o desemprego e a falta de oportunidades. Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, esse resultado se deve ao fato de Temer estar inviabilizando o desenvolvimento do país. “Está gerando só aumento da fome e desemprego, do gás, das contas de luz e da gasolina, e governando para os empresários que financiaram o golpe”, diz.

"A pesquisa mostra que a grande maioria da população rejeita a agenda do governo”, acrescenta o sociólogo Marcos Coimbra, diretor do Vox Populi. “Depois do golpe, não durou nem 30 dias a esperança de que o governo Temer pudesse trazer alguma melhora para o país. De lá para cá, o que era ruim piorou.”

> Participe da campanha pela revogação da reforma trabahista
> Dia nacional de luta: votação na Sé define paralisação contra fim da aposentadoria
> Bancários na luta contra retirada de direitos

A nova rodada da pesquisa CUT-VOX foi realizada em 118 municípios, entrevistou 2 mil pessoas com mais de 16 anos de idade, residentes em áreas urbanas e rurais, de todos os estados e do Distrito Federal, em capitais, regiões metropolitanas e no interior, em todos os segmentos sociais e econômicos. A margem de erro é de 2,2%, estimada em um intervalo de confiança de 95%.

Confira mais sobre a pesquisa na Rede Brasil Atual.
 



Voltar para o topo