Balanço 2018

Caixa lucra menos e perde mercado

Banco teve lucro líquido contábil de R$ 10,4 bilhões em 2018, que representa recuo de 17,2% em relação ao ano anterior; Veja a projeção da PLR

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 29/03/2019 18:24 / Atualizado em 01/04/2019 16:52

A Caixa divulgou o seu balanço de 2018 na sexta-feira 29. O banco público registrou lucro líquido contábil de R$ 10,4 bilhões no ano passado, que apesar de expressivo representa redução de 17,2% em relação ao ano anterior. Já o lucro líquido recorrente – que desconsidera o que a Caixa denomina como “eventos extraordinários” – foi de R$ 12,6 bilhões, 40% superior ao de 2017, que foi de R$ 9,038 bilhões.

> Faça a sua sindicalização e fortaleça a luta em defesa dos direitos dos bancários

A carteira de crédito apresentou queda de 1,7% no ano de 2018. O crédito comercial PF teve queda de 12,6% e o crédito comercial PJ redução de 18,8%. Já o crédito habitacional cresceu apenas 3%. Para efeitos de comparação, mesmo os bancos privados ampliaram o crédito em 2018. O Santander teve alta de 11%, Bradesco 7,8% e Itaú 6,1%.

Já as receitas de tarifas e prestação de serviços atingiram R$ 26,8 bilhões, alta de 7,2%. Por outro lado, as despesas de pessoal apresentaram queda de 3,6% em relação a 2017. Com isso, as receitas com tarifas e prestação de serviços passam a cobrir 116% do total de despesas de pessoal, incluindo a PLR.

A redução nas despesas com pessoal reflete a redução do quadro de empregados, com o fechamento de 2.702 postos de trabalho em 2018. No período, a Caixa fechou 19 agências e 9 postos de atendimento bancário.

> Sindicato reafirma defesa da Caixa 100% pública e dos empregados em apresentação do balanço

A taxa de inadimplência da Caixa ficou em 2,18%, redução de 0,08 pontos percentuais em relação a 2017. Com isso, a despesa de PDD apresentou redução de 22,5%. Entretanto, mesmo com a queda na taxa de inadimplência, no 4º trimestre do ano passado a Caixa realizou uma PDD no valor de R$ 5,1 bilhões, o que representou uma elevação de 89% em relação ao 3º trimestre.

De acordo com o balanço, isso se deu porque “foram revisadas as avaliações de risco das maiores operações da Caixa que resultaram em ajustes de rating, particularmente de três grandes exposições de clientes do segmento de infraestrutura. Porém, os dados da evolução da inadimplência do 3º para o 4º trimestre não sustentam a argumentação, uma vez que a taxa de inadimplência passou de 2,44% no 3º trimestre de 2018 para 2,18% no 4º trimestre, uma queda de 0,26 pontos percentuais.

“Os dados demonstram que a Caixa perdeu mercado para os bancos privados. Enquanto reduziu a oferta de crédito, a sua lucratividade foi impulsionada pelo aumento das receitas com tarifas e redução de despesas de pessoal, além da redução de despesas de PDD. Enquanto banco público, a Caixa deveria ampliar a sua oferta de crédito. Porém, o que vemos é o movimento contrário. Medidas da atual gestão que enfraquecem o banco e o fazem perder mercado em benefício do sistema privado”, critica o diretor do Sindicato e coordenador da CEE/Caixa, Dionísio Reis.

PLR

Por força da Convenção Coletiva de Trabalho, a Caixa deposita a PLR nesta sexta-feira 29.

Confira projeção dos valores a serem pagos, estimando uma divisão entre os 85 mil empregados e considerando o desconto do adiantamento de setembro:



Voltar para o topo