Via negocial

Cooperativas de crédito apresentam proposta

Reajuste oferecido supera inflação do período; trabalhadores deliberarão em assembleia no dia 13

  • Redação Spbancarios
  • Publicado em 06/08/2018 17:02 / Atualizado em 08/08/2018 16:25

Arte: Thiago Akioka

Os representantes dos trabalhadores conseguiram, na mesa de negociação com as cooperativas de crédito, proposta de reajuste salarial de 4,5%. O índice supera a inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) do período de 12 meses anteriores a data base da categoria (junho de 2018), que ficou em 1,76%. Com isso, os trabalhadores terão aumento real de 2,69% (veja tabela abaixo).

> Fortaleça a luta do Sindicato: sindicalize-se!

Além do reajuste acima da inflação, as cooperativas se propuseram a manter todos os direitos contidos da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos trabalhadores em cooperativa de crédito, priorizando a via negocial coletiva que visa melhorar as condições para os trabalhadores. Neste sentido, as homologações das demissões continuarão sendo realizadas no Sindicato.

> Como a homologação feita no Sindicato pode ajudar você?
> Baixe o material explicativo sobre a importância da homologação!
> Agende a sua homologação no Sindicato dos Bancários

A CCT será válida por dois anos (2018-2020); em 2019 só serão negociadas e renovadas as cláusulas econômicas.

“Na atual conjuntura de retirada de direitos após a aprovação da reforma trabalhista, as negociações resultaram em uma proposta satisfatória porque mantém toda as cláusulas garantidas pela CCT e o reajuste acima do INPC, e que agora deverá ser contemplada em assembleia pelos trabalhadores”, avalia o dirigente sindical Jair Alves, da Fetec-CUT/SP. 

Como a reforma trabalhista irá afetar a sua vida?

Conforme edital publicado, a assembleia será realizada na segunda-feira 13, com primeira chamada às 18h e segunda chamada às 18h30, no auditório Amarelo da sede do Sindicato dos Bancários (Rua São Bento, 413, Centro). 

Após a aprovação da proposta, as cooperativas terão até o dia 30 de setembro para pagar as diferenças salariais.

 



Voltar para o topo